Cartórios de Maringá registraram 442 mortes por doenças respiratórias desde março

Por: - 5 de agosto de 2020
Dados dos registros dos cartórios estão reunidos no Portal de Transparência do Registro Civil / Agência Brasil

Cartórios de Maringá registraram 442 mortes por doenças respiratórias, desde a confirmação do primeiro caso de coronavírus na cidade, em 18 de março, até 3 de agosto deste ano. O número representa aumento de 34,7% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando os cartórios tinham registrado 328 mortes.

Do total de mortes registradas neste ano, 22 (4,9%) são de pessoas que não moravam em Maringá. Dessa forma, dos registros de mortes por doenças respiratórias, 420 são moradores de Maringá. Em relação ao ano passado, 19 pessoas não residiam em Maringá e 309 moravam na cidade.

Os dados são do Portal da Transparência, plataforma desenvolvida pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), que reúne os registros de óbitos feitos pelos cartórios brasileiros.

Os dados, disponíveis na aba “Causas Respiratórias”, dentro do “Especial Covid-19“, utilizam como base as informações contidas nas Declarações de Óbitos (DOs) emitidas pelos médicos no ato do falecimento, e que são a base da certidão de óbito.

No portal, estão disponíveis dados referentes a insuficiência respiratória, pneumonia, septicemia, síndrome respiratória aguda grave (SRAG) e Covid-19. Os dados mostram que o número de mortes por SRAG, de residentes em Maringá, saltou de um caso em 2019 para seis em 2020.

A informação registrada no portal sobre o número de mortes em decorrência da Covid-19 é diferente dos dados divulgados pela prefeitura. O boletim divulgado na segunda-feira (4/8) registra 55 mortes em Maringá, enquanto o portal registra quatro mortes a mais, totalizando 59.

Segundo a assessoria de imprensa do Instituto de Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado do Paraná (Irpen/PR), o portal considera o registro enviado pelos cartórios. Se a certidão de óbito menciona Covid-19, coronavírus ou novo coronavírus, tratando-se de suspeita ou confirmação, o portal considera como Covid-19 a causa da morte.

A atualização dos dados do Portal da Transparência segue os prazos legais. A família tem até 24 horas após a morte para registrar o óbito no cartório. O cartório tem até cinco dias para efetuar o registro de óbito e depois até oito dias para enviar o ato feito à Central Nacional de Informações do Registro Civil (CRC Nacional), que atualiza o Portal da Transparência.

Mortes por doenças respiratórias de moradores de Maringá

2020

  • Insuficiência respiratória: 36
  • Pneumonia: 192
  • Septicemia: 127
  • SRAG: 6
  • Covid-19: 59

Total: 420

2019

  • Insuficiência respiratória: 32
  • Pneumonia: 168
  • Septicemia: 108
  • SRAG: 1
  • Covid: 0

Total: 309

Registros de mortes

Nos primeiros sete meses de 2020, de janeiro a julho, os cartórios de Maringá registraram 1.530 mortes, o que representa aumento de 18% em relação ao ano passado, quando os cartórios registraram 1.296 mortes no mesmo período. As informações estão disponíveis na aba “Registros” do Portal da Transparência.

Apesar disso, o dado é menor que os números registrados em 2018 e 2017. Segundo informações do portal, em 2018 foram registrados 1.604 óbitos em Maringá e em 2017 2.064 mortes.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.