Reitor da Unicesumar, Wilson de Matos Silva, decide não integrar Conselho Nacional de Educação

16 de julho de 2020
Nomeação tinha sido publicada no Diário Oficial da União na sexta-feira (10/7) / Reprodução Unicesumar

O reitor da Unicesumar, Wilson de Matos Silva, decidiu não assumir o cargo de conselheiro da Câmara de Educação Superior, do Conselho Nacional de Educação (CNE). A nomeação, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, tinha sido publicada no Diário Oficial da União na sexta-feira (10/7).

Em nota, Wilson de Matos Silva afirmou que “a decisão, que ocorreu após longa e profunda reflexão, foi motivada por razões pessoais”. Ele afirmou que continuará à frente da Unicesumar “se dedicando ao debate e promoção da educação de qualidade, tal como feito nos últimos 30 anos”. 

O CNE é um órgão independente composto por 24 membros, dividido entre as Câmaras de Educação Básica e Superior. O órgão assessora o Ministério da Educação (MEC) e é responsável, entre outras funções, pela deliberação de diretrizes educacionais, curriculares e aprovação de cursos superiores. 

Na sexta-feira (10/7), o presidente Jair Bolsonaro nomeou 11 novos membros para o CNE. A conselheira Suely Menezes e o atual presidente do órgão, Luiz Roberto Liza Curi, foram reconduzidos. 

Entre os novos nomes, não há nenhum representante da rede pública estadual e municipal. O Conselho de Secretários Estaduais de Educação (Consed) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) divulgaram nota conjunta de repúdio aos critérios de escolha.