Cursos da UEM se unem para produzir milhares máscaras de proteção contra a Covid-19

Por: - 24 de abril de 2020
Para acompanhar as máscaras, o grupo preparou um folder informativo de uso e limpeza das peças / Divulgação UEM

Os cursos da Universidade Estadual de Maringá (UEM) de Design e Moda, em Cianorte, de Engenharia Têxtil, em Goioerê, e de Engenharia de Produção, em Maringá, se uniram para fabricar máscaras de proteção contra o novo coronavírus (Covid-19). As peças vão ser distribuídas para os profissionais da Universidade, técnicos, entidades, hospitais, institutos e casa de repousos.

Para iniciar a produção, um grupo de professores realizou a limpeza e higienização do Laboratório Minifábrica do curso de Engenharia de Produção, para o processo de costura e, em suas casas, os docentes iniciaram o procedimento de corte dos tecidos.

“Para iniciar a produção, adquirimos o material para o primeiro lote, de 200 máscaras, em seguida conseguimos doações de professores da UEM para viabilizar o restante” explica Gislaine Camila Leal do Departamento de Engenharia de Produção.

Segundo Francielle Cristina Fenerich, responsável pelo planejamento de Produção, a previsão é que 1000 máscaras estejam prontas para distribuição em 10 dias.

“Estamos também trabalhando com uma campanha de doações para a aquisição de mais materiais com o intuito de produzir mais máscaras” esclarece Francielle Fenerich.

No processo de costura, o chefe do Departamento de Design e Moda, professor Marcio José Silva, orientou os docentes dos cursos envolvidos, técnicos, aposentados e familiares que estão participando dessa ação.

No câmpus de Cianorte, o Curso de Design e Moda confeccionaram cerca de 1300 máscaras que foram destinadas à Santa Casa, Instituto Bom Jesus, Recanto dos Velhinhos e Secretaria de Saúde de Cianorte e Umuarama, Hospital Municipal de Indianópolis, Rondon e Tapejara; a agentes de vigilância do Campus de Cianorte, médicos e enfermeiros extensionistas da UEM.

O Curso de Engenharia Têxtil, Câmpus Goioerê também fabricou 1300 máscaras. Cerca de 150 delas foram trocadas por alimentos não perecíveis, que foram distribuídos a uma comunidade carente da cidade. Outras 100 máscaras foram doadas a um projeto de Umuarama, ligado à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e outra parte destinada à Associação de Coletores de Materiais Recicláveis de Goioerê (ATA).

O restante, cerca de 1000 máscaras, serão encaminhadas à defesa civil, que tem
o cadastro das regiões da cidade que têm maior necessidade e carência desse
material.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.