Cresce o número de empresas autuadas durante isolamento. Supermercado recebe multa de quase meio milhão

Por: - 1 de abril de 2020
Sede do Procon de Maringá na Avenida Cerro Azul / Cary Bertazzoni/Prefeitura de Maringá

O Procon de Maringá formalizou nesta terça-feira (31/3) uma multa de R$ 497.037,42 ao supermercado Super Muffato do Novo Centro. A medida foi tomada após diversas reclamações de clientes a respeito do não funcionamento do Serviço de Atendimento ao Consumidor.

Também houve reclamações sobre atraso na entrada de deliverys e de problemas com cancelamento de compra. Segundo a Secretaria de Fazenda, essa é apenas uma das 60 empresas autuadas pela prefeitura.

O supermercado tem o prazo de dez dias para recorrer da multa. Além da atuação fiscal, a unidade do Novo Centro foi intimada a apresentar uma justificativa, em até 48 horas, a respeito de problemas nos serviços oferecidos.

Essa não é a primeira vez que a unidade da rede de supermercados é multada. No sábado (21/3), primeiro final de semana do decreto de estado de emergência em Maringá, o supermercado foi multado em R$ 300 pela Secretaria da Fazenda.

A autuação foi feita com base no descumprimento do decreto municipal 445/2020 em prevenção ao coronavírus. Fiscais da prefeitura flagraram que a porta da unidade estava aberta sem controle de fluxo de pessoas.

Caixas próximos sem estarem intercalados e aglomeração também contribuíram para autuação da empresa. Nesta terça (31/3), durante a formalização da notificação do Procon, foi registrado em fotografias que os caixas continuavam próximos uns dos outros, sem estarem intercalados.

Conforme nota emitida pela assessoria de imprensa, a empresa admite que foi surpreendida com a grande demanda de deliverys. O Muffato ainda afirma que tem realizado todos os esforços possíveis para aprimorar o atendimento à nova realidade.

A empresa conta que devido ao cenário criado pelo coronavírus, como redução de horário de funcionamento e alto fluxo de clientes por loja, a estrutura dos serviço ficaram debilitadas.

“O Grupo Muffato tem mantido os seus clientes plenamente cientes quanto aos contratempos que poderão ser enfrentados no uso do serviço de delivery, inclusive quanto à falta de produtos. A empresa reafirma que segue comprometida em melhorar os seus serviços para atender bem à população”, declarou por meio de nota.

Ao todo, a Ouvidoria da prefeitura recebeu 9.347 denúncias desde 20 de março. Desse total foram realizadas 1.785 vistorias e 150 notificações. Foram cerca de 60 empresas e prestadores de serviços autuados até a segunda-feira (30/3).

Nas operações da Secretaria de Fazenda e Procon foram emitidas 50 multas. O valor total somado chega a R$ 779.293,04. As atuações se dividem entre descumprimento do decreto ou falhas na prestação de serviços para consumidores.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.