Morre aos 76 anos a professora Adelaide Colombari, a “Semeadora de Escolas”

Por: - 13 de fevereiro de 2020
Adelaide Colombari morre aos 76 anos e deixa quatro filhos, 13 netos e seis bisnetos/ Arquivo Pessoal

Morreu na manhã desta quinta-feira (13/2), aos 76 anos, a professora Adelaide Gonsales Colombari. Ela se destacou pela dedicação à educação, o que lhe rendeu o carinhoso apelido de “Semeadora de Escolas”.

O apelido ganhou destaque como título da biografia escrita pelo jornalista Dirceu Herrero , que conta a trajetória da mulher que chegou a chefiar o Núcleo Regional de Maringá nas gestões de 1994-1995 e 2003-2010.

A morte foi comunicada pela filha dela, a secretária de Educação de Maringá, Gisele Colombari Gomes, em uma rede social.

“É com muita dor no coração que comunico a passagem da minha amada mãezinha. Deus a chamou”, se despediu a filha.

Além de destaque como chefe do Núcleo Regional de Educação, Adelaide foi responsável pelo projeto pedagógico de diversos colégios em Maringá, incluindo instituições de ensino superior.

A educadora, homenageada com o título de Mérito Comunitário em 2018 e Cidadã Benemérita no ano passado, vem de origem simples. Nasceu na zona rural de Regente Feijó, interior de São Paulo. A trajetória de professora começou na zona rural de São João do Caiuá.

Pelos grandes feitos, Adelaide Colombari mantém o apresso de diversas autoridades de Maringá. O prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PDT), destaca o carinho e admiração pela educadora.”Sua história, tão admirada em vida, permanecerá eternamente como uma referência para todos nós”, comentou Maia.

O vice-prefeito de Maringá, e também professor Edson Scabora, destacou o profissionalismo e o amor pela profissão.

“Ela possuía um coração enorme e como cidadã e profissional sua história merece todo o nosso respeito, pois se transformou é um dos maiores ícones da área da Educação”, escreveu Scabora.

O presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino de Maringá e Região (Sinepenopr), Wilson de Matos Silva Filho, contou que Adelaide Colombari sempre procurava um jeito prático de resolver os problemas.

“Ela primava pelo diferencial, fosse por meio da criatividade, da articulação política ou do seu trabalho incansável”, lembrou Matos Filho.

Adelaide foi casada com o também professor Osler Colombari, com quem teve cinco filhos. Adeler, que já veio a óbito, Vânea, Herley, Gisele e Osler filho. A educadora também deixa 13 netos e seis bisnetos. O corpo de Adelaide é velado no Cemitério Parque e vai ser cremado nesta sexta-feira (14/2) às 10h.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.