Maringá é a oitava melhor cidade do Brasil e a primeira do Paraná para se viver com os filhos

Por: - 11 de novembro de 2019
Maringá é eleita a 8ª melhor cidade para criar filhos no Brasil / Divulgação PMM

Maringá é a oitava melhor cidade do Brasil e a primeira do Paraná para se viver com os filhos. É o que mostra o portal Maiores e Melhores, a partir de conteúdo divulgado pela Revista Exame com base em pesquisa feia pela Delta Economics & Finance (DEF).

Maringá recebeu nota de 33,20, o que garantiu o posto de melhor cidade do Paraná para se viver com os filhos. Curitiba ficou com a 10ª colocação no Brasil e a segunda no Estado.

O primeiro lugar no país ficou com Florianópolis, capital de Santa Catarina, onde mais dois municípios figuram no ranking. Blumenau aparece em 4º lugar e Joinville na 9ª colocação.

No ranking da melhor cidade do Brasil, do portal Maiores e Melhores, também aparecem os municípios paulistas de Bauru (7º), Jundiaí (6º), Santo André (5º) e Santos (2º). A terceira colocação ficou com Vitória, capital do Espírito Santo.

Para se chegar no resultado foram analisados o custo de vida, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) Municipal e a taxa de violência de cada cidade. Outras 48 variáveis também foram levadas em consideração e incluem a oferta se serviços às crianças em relação à segurança pública, cultura, longevidade e infraestrutura de saúde.

De acordo com a publicação, Maringá obteve destaque por ser uma das cidades mais arborizadas do país. Outros destaques ressaltados da cidade foram o projeto urbanístico de Jorge Macedo de Viera, a Universidade Estadual de Maringá (UEM) e o Femusic.

O Prefeito da cidade, Ulisses Maia (PDT), destacou a relevância dos investimentos realizados em sua gestão para conseguiu manter bons indicadores em saúde, cultura, educação e segurança.

“A Guarda Municipal foi totalmente transformada. Criamos uma Secretaria Municipal de Segurança Pública, com sede própria e o estatuto. Também teve a capacitação e treinamento da GM, assim como o processo de compra de armamentos, as 14 viaturas e as duas vans de estação móvel”, afirmou o prefeito, que contabiliza mais de R$ 4 milhões em investimentos na Guarda Municipal.

Em relação à educação, Maia acredita que os investimentos voltados aos alunos foram importantes. “Fornecemos tênis para nossos alunos, assim como mochilas de rodinhas e até mesmo ar-condicionado e notebooks educacionais para o 4º e 5º ano”, disse.

Para o futuro, Maia pontuou que a cidade tem que tomar cuidado “pra não crescer muito”. Segundo ele, a visibilidade em nível nacional pode atrair muitas pessoas a Maringá, o que acabaria sendo um complicador. Para evitar problemas, o prefeito afirma que é preciso manter o planejamento adequado para manter a oferta de qualidade de vida.

A jornalista Isabelle Saleme Fernandes faz parte das pessoas que vieram recentemente para Maringá. Carioca, ela chegou há cerca de cinco meses graças a uma proposta de trabalho do marido, Everaldo, capitão e levantador do time de vôlei Denk Maringá.

“A gente não conhecia a cidade, mas quando a gente comentou com algumas pessoas do Rio de Janeiro que viríamos a Maringá, eles falaram sobre a boa qualidade de vida”, conta Isabelle.

Ela e o marido trouxeram a pequena Giovanna de um ano e nove meses e consideram que a mudança foi positiva para a menina.

“A cidade é mais tranquila, com menos violência e menor que o Rio. Lá ficávamos presos nos congestionamentos. Aqui é mais tranquilo nesses aspectos. Por nossa filha ser pequena, queríamos um lugar com mais qualidade de vida pra viver”, diz.

Isabelle, o marido Everaldo e a pequena Gio curtindo um passeio de pedalinho no Parque do Ingá/ Arquivo pessoal
  • Reportagem atualizada às 12h10 desta terça-feira (12/11) com a informação de que a notícia foi publicada pelo portal Maiores e Melhores e voltou a ganhar repercussão esta semana. A pesquisa original foi publicada pela Revista Exame em 2015.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.