Carpas voltam ao lago principal do Parque do Japão. Foram soltos 480 peixes nesta quarta

As carpas voltaram ao lago principal do Parque do Japão de Maringá. Mais de três meses após o registro da morte de 500 carpas, 480 peixes foram colocados no lago nesta quarta-feira (18/9). O trabalho foi realizado por servidores da Prefeitura de Maringá e por professores e estudantes da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Em breve o número de carpas nos lagos vai aumentar. Há 12 matrizes que se reproduzem no Centro de Pesquisas da UEM, no Distrito de Floriano. A estimativa do gerente do Parque do Ingá, Luis Uema, é que em torno de 200 peixes também possam repovoar os lagos do Parque do Japão dentro de a três a quatro meses.

O problema começou em junho, com o aparecimento de peixes mortos nos dois lagos principais do Parque do Japão. A causa da morte ainda é um mistério.

Os peixes que sobreviveram foram transferidos pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos (Semusp) para lagos artificiais. O lago principal foi drenado. O fundo teve parte dos detritos e da terra removidos.

Também foi instalado um sistema de filtros, com carvão ativado, entre nascentes e o lago. Um reservatório foi construído para ajudar na manutenção dos peixes.

Com a manutenção do local por mais de dois meses, incluídos cuidados com nível de Potencial Hidrogeniônico (PH) da água, as carpas puderam retornar ao lago principal do Parque do Japão.

O lago menor vai ser drenado e passar por manutenção. Em cerca de dois meses, vai estar pronto para receber os peixes novamente. O objetivo é que o local esteja pronto para receber as carpas e os turistas para as atrações da Maringá Encantada no Parque do Japão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.