Por causa da greve dos servidores, Hospital Universitário de Maringá suspende novas cirurgias eletivas

Por: - 4 de julho de 2019
Reunião na quarta-feira (3/7) discutiu envolvimento do hospital com a greve dos servidores / Valdete da Graça

Em apoio a greve dos servidores estaduais, o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar) e os funcionários do Hospital Universitário de Maringá (HUM) decidiram na manhã desta quinta-feira (4/7) suspender alguns serviços considerados não essenciais no hospital. O agendamento de cirurgias eletivas, por exemplo, está suspenso.

Também foi decido que o atendimento em alguns ambulatórios de especialidades, planejamento familiar, ambulatório de infertilidade, climatério e no ambulatório de anestesiologia parcial ficam paralisados. Procedimentos como curativos, novas consultas e novos atendimentos de reumatologia foram suspensos.

No bloco cirúrgico do HUM, as cirurgias de urgência e emergência estão mantidas. As cirurgias ortopédicas de emergência vão ser realizadas conforme disponibilidade do cirurgião ortopédico. Cirurgias eletivas marcadas para o mês de julho também estão mantidas, apenas o agendamento de novos procedimentos foi suspenso.

No Hemocentro, as coletas externas vão ser reduzidas em 50% e o horário de atendimento também fica menor. O Hemocentro vai ficar aberto à comunidade de segunda-feira a sexta-feira das 9h às 17h e, aos sábados, das 7h às 12h30.

Confira o que funciona normalmente no Ambulatório de Especialidades:

  • Gestantes de alto risco
  • Hospital-dia (pacientes que fazem uso de medicação)
  • Ambulatórios de pacientes crônicos com receita de medicação especial e/ou medicação controlada
  • Oftalmologia (transplante de córnea e retinopatia de prematuridade)
  • Ambulatório de mastologia
  • Ambulatório de exposição e VSE
  • Ambulatório de Toxoplasmose
  • Ambulatório de retorno de trauma cirúrgico
  • Liberação de medicamentos para profissionais da 15ª RS (acidente com material biológico e perfurocortante)
  • Retorno de cirurgias ortopédicas, cirurgia geral e cirurgia pediátricas
  • Cirurgias agendadas para o mês de julho
  • Atendimento e agendamento de cirurgias de campanha

Por meio da assessoria de imprensa, o Hospital Universitário informou que as medidas não trazem impacto para os pacientes. De acordo com o hospital, as medidas propostas levam em consideração o atendimento à população e serviços de urgência e emergência, referências do HUM, e que não foram suspensos.

Na quarta-feira (3/7), o governador Ratinho Junior (PSD) apresentou em coletiva de imprensa proposta de 5,09% de reajuste parcelado aos servidores. A proposta prevê a concessão de 0,5% em outubro de 2019, mais 1,5% em março de 2020, 1,5% a partir de janeiro de 2021 e 1,5% a partir de janeiro de 2022. No entanto, o governador colocou como condição acabar com a licença-prêmio dos servidores.

A proposta foi mal recebida pelos sindicatos. Para o presidente do Sinteemar, José Maria Marques, a proposta aumentou a insatisfação da categoria. “Foi bom, porque o governo acabou acirrando ainda mais a situação e muitos que esperavam uma consciência do governador, fazendo uma proposta decente, acabaram decidindo entrar em greve também”.

Apesar da chuva nesta quinta-feira (4/7), professores e funcionários se concentraram pela manhã em frente ao Núcleo Regional de Educação (NRE) de Maringá e saíram em passeata por algumas ruas da cidade. Na sexta-feira (5/7), os servidores organizam, às 13h30, uma carreata até a Universidade Estadual de Maringá (UEM) para acompanharem uma palestra com o ex-governador Roberto Requião.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.