Mercado de trabalho: vaga de emprego é para telefonista, mas a função é responder mensagens via WhatsApp

Por: - 29 de maio de 2019
Imagem ilustrativa / Pixabay

No anúncio publicado na seção de Empregos do Maringá Post, a vaga é para a função de telefonista. Mas, a descrição pede que o profissional realize atendimento via WhatsApp, pois há “pouca demanda de ligações”. O cargo é para trabalhar de segunda-feira à sábado, das 18h às 2h, com salário de R$ 1,9 mil, além de benefícios e comissão.

Dentre os requisitos, além de não ter problemas com o horário de trabalho oferecido, o profissional deve ter habilidade em responder mensagens no WhatsApp e ter vontade de bater metas. A empresa contratante é a Spalla Closet, um e-commerce de moda feminina que existe desde o final do ano passado e realiza vendas por meio do Instagram. A partir do mês que vem, as vendas também serão feitas pelo site.

De acordo com o sócio da Spalla Closet, Rafael Antonio da Silva, o cargo para a função de telefonista é exclusivamente para responder as mensagens de pessoas interessadas em comprar os produtos da loja.

“Como temos muita demanda de clientes que mandam Direct no Instagram, querendo saber dos produtos, resolvemos contratar uma pessoa para direcionar esse pessoal para o WhatsApp, que é um meio de comunicação mais rápido e fácil. Hoje, todo mundo tem e usa WhatsApp, então a gente vai puxar essas pessoas do e-commerce para o WhatsApp, sem que os clientes precisem perder tempo com ligações. Temos telefone para contato, mas raramente algum cliente liga”, explica.

A vaga de emprego para telefonista foi publicada há cerca de duas semanas, e até o momento, a empresa já recebeu mais de 500 currículos, que estão em fase de análise. O profissional que for contratado para exercer o cargo vai ficar no escritório da Spalla Closet, localizado no Aspen Park Trade Center, na Avenida São Paulo, em Maringá.

Rafael Antonio da Silva também é proprietário de uma empresa de Marketing Digital, que está há mais de três anos no mercado. Segundo ele, todo o suporte aos clientes de sua empresa também é feito via WhatsApp.

Temos e-mail, chat, atendemos ligações, porém o foco hoje é o WhatsApp. Quando há uma equipe bem preparada para dar esse suporte aos clientes via WhatsApp, é bastante favorável”, ressalta.

A Juliana do Carmo França, 36, que é secretária de um médico endocrinologista há cerca de 17 anos, conta que o WhatsApp se tornou uma importante ferramenta para confirmação de consultas.

“Hoje, o WhatsApp também é uma ferramenta de trabalho para mim, porque utilizo para mandar mensagens para lembrar o paciente de que ele tem um horário agendado com o médico. Alguns fazem acompanhamento e vêm ao médico de três em três meses, por exemplo, então podem esquecer da consulta”, conta.

Segundo ela, o aplicativo de mensagens também é utilizado para que os pacientes tirem suas dúvidas sobre receitas e exames. “Meu chefe não utiliza o computador, então às vezes o paciente não entende a letra dele, ou tem dúvidas sobre como deve tomar o medicamento, a validade da receita. Então, ele pode enviar foto da receita, ou do pedido de exame, e a gente esclarece a dúvida na hora. Antes, o paciente tinha que voltar na clínica quando precisava perguntar algo”, ressalta.

Além disso, no consultório em que a Juliana do Carmo França trabalha, o contato com as clínicas de imagem e laboratórios também é feito apenas via WhatsApp.

Para a psicóloga Sarah Ornelas, analista de Recursos Humanos, a mudança na função da telefonista é natural, positiva e necessária. “Hoje em dia, é muito raro se conversar por telefone. Eu percebo isso quando vou marcar entrevistas de emprego, por exemplo. As vezes tento ligar duas, três vezes para o candidato, e ele não atende. Quando mando mensagem no WhatsApp, ele responde imediatamente e já resolvemos por ali mesmo”, relata.

Segundo ela, os clientes buscam rapidez e eficácia no atendimento, e para atender à  demanda, as empresas procuram profissionais proativos, e que saibam se comunicar em redes sociais.

“Não basta saber mexer no WhatsApp. O profissional precisa ter muita atenção ao ler a mensagem do cliente para saber interpretar, e também atenção para responder, com um português coerente. Mesmo não estando olho a olho, ou ouvindo a voz do cliente, tem que tomar muito cuidado com a forma de atender. Tem que ser profissional, porque esse profissional será responsável pelo nome da empresa”, esclarece Sara.

De acordo com ela, um grande desafio no atendimento via WhatsApp é fazer com que o cliente se sinta especial e único.

“O cliente precisa se sentir acolhido pela pessoa que está do outro lado digitando. Muitas vezes, esse profissional vai estar falando com vários clientes ao mesmo tempo, mas ele terá que deixar aquela pessoa pensar que só está falando com ela, dando a maior atenção possível, com um atendimento diferenciado”, acrescenta a psicóloga.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.