Mensagens desconexas em grupo de WhatsApp causam pânico na Uningá e PM é chamada

Por: - 8 de maio de 2019
A Polícia Militar esteve na manhã desta quarta-feira (8/5) na Uningá, após mensagens enviadas em grupo de WhatsApp causarem pânico em alunos / Reprodução

Na manhã desta quarta-feira (8/5), um aluno do curso de Medicina da Uningá enviou mensagens desconexas no grupo de WhatsApp da turma. Foi o suficiente para causar pânico nos estudantes e funcionários. Alunos deixaram a instituição e foram espalhados boatos de que o aluno estava armado. O pânico foi além. Algumas mensagens chegaram a informar que ele havia deixado uma bomba no local. 

A Polícia Militar esteve na Uningá e informou que o aluno não foi para o centro universitário nesta quarta-feira. Ele estava em casa com a família. O departamento de Comunicação Social do 4º Batalhão da Polícia Militar de Maringá enviou nota à imprensa informando que “tomou conhecimento de tais boatos e adotou providências junto à instituição de ensino superior, a fim de esclarecer o que houve.”

Segundo o que apurou a Polícia Militar, “um dos alunos enviou mensagens sem coerência para o grupo de WhatsApp da sua sala de aula, as quais foram interpretadas equivocadamente como uma possível ameaça, bem como foram compartilhadas nas redes sociais, causando a propagação de uma informação falsa e consequentemente pânico infundado”.

Mensagens sem coerência foram enviadas por aluno de medicina no grupo da sala, causando pânico nos alunos da Uningá / Reprodução

Ainda de acordo com a nota, a Polícia Militar esclareceu que “os boatos de que o estudante estava armado na faculdade são improcedentes”.

A Uningá também se manifestou por meio de nota, enviada pela Assessoria de Imprensa, informando que a instituição está “apurando os fatos relativos a supostas mensagens que circularam por aplicativo de mensagens” na manhã desta quarta-feira, que “causaram preocupação à comunidade acadêmica”.

A instituição manteve as atividades acadêmicas e ressaltou que, “segundo o que foi apurado até o momento, não há motivos para preocupação”, e que são “absolutamente inverídicas as notícias veiculadas pela imprensa e aplicativos de mensagens, sobre suposta ocorrência com arma de fogo no campus da Uningá”.

Mesmo assim, o centro universitário informou que reforçou a segurança para garantir a tranquilidade de alunos, servidores e professores no campus da instituição.

Áudios e mensagens compartilhadas nas redes sociais informavam que o carro do estudante que enviou as mensagens no grupo estava no estacionamento da Uningá desde terça-feira (7/5). A Assessoria de Imprensa da instituição informou que foi constatado que o veículo não é do estudante. Informou, ainda, que a direção acadêmica da Uningá já está em contato com a família do aluno.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.