Entre as 100 maiores cidades brasileiras, Maringá é a 53ª na prestação de serviços inteligentes ao cidadão

Por: - 4 de abril de 2019
As lojas dos shoppings de Maringá vão funcionar conforme os horários de domingo nesta quinta-feira (20/6), feriado de Corpus Christi / Pólen Comunicação

Considerada pela Revista Exame a melhor cidade para se viver no país, Maringá figura em  posições desfavoráveis em outros rankings quando o assunto é a oferta de serviços digitais e inteligentes à população. No Ranking de Serviços de Cidades Inteligentes, organizado pela consultoria Teleco em 2018, Maringá ocupa a 53ª posição entre as 100 cidades avaliadas.

O levantamento identifica, entre os 100 maiores municípios brasileiros, aqueles que mais ofertam serviços inteligentes para o cidadão. No Paraná, Maringá fica atrás de Cascavel (7ª), Curitiba (17ª), Ponta Grossa (19ª) e São José dos Pinhais (20ª). A nível nacional, Juiz de Fora (MG) figura em primeiro lugar no levantamento. A cidade mineira é seguida por Rio de Janeiro (RJ) e Uberlândia (MG).

Para formulação do ranking, são considerados serviços inteligentes da administração municipal e aqueles que podem ser acessados pela população como mobilidade urbana, educação, saúde, transporte, coleta de lixo e outros.

No entanto, o acesso a esses serviços deve ser realizado por meio da tecnologia e da conectividade. O ranking avalia, por exemplo, se o cidadão pode pagar o estacionamento em vias públicas ou a passagem do transporte coletivo por meio de aplicativos para smartphone ou site. Essa foi a primeira edição do ranking e uma nova deve ser divulgada em maio.

Em outro levantamento, divulgado no ano passado pela Urban Systems, Maringá aparece como a 20ª cidade mais inteligente do país. O Ranking Connected Smart Cities analisa 70 indicadores dentro de 11 eixos temáticos: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, saúde, segurança, empreendedorismo, economia e governança.

Para o presidente da Software By Maringá, entidade que reúne empresas de tecnologia da informação, Luís Marcos Campos, os gestores públicos têm buscado soluções tecnológicas para as cidades. No entanto, ele disse acreditar que ainda é preciso mais empenho para a implementação efetiva dessas tecnologias.

“É um desafio a ser buscado. Pelo potencial que Maringá tem, nós deveríamos estar até em uma posição melhor, uma vez que somos referência em termos de tecnologia”, avaliou. De acordo com ele, vários serviços poderiam ser ofertados de maneira mais eficaz com o uso de recursos tecnológicos e inovadores.

“A tecnologia pode contribuir para a integralidade das informações e na agilidade dos serviços. Ela pode desburocratizar, descentralizar, dar mais acessibilidade e democratizar o acesso aos serviços”, afirmou o presidente da Software By Maringá.

Soluções inteligentes tem planejamento a longo prazo

Segundo o diretor de Inovação Tecnológica da Secretaria de Inovação e Desenvolvimento Econômico (Seide), Franz Wagner Dal Belo, apenas ações pontuais como a criação de aplicativos e ferramentas que facilitem os serviços aos cidadão não podem ser consideradas como inteligentes.

“Inteligência é a capacidade de resolver problemas que você ainda não conhece. Por exemplo, como as cidades estão se preparando para os novos meios de transporte, como carros elétricos e veículos autônomos? É a preparação para o futuro, o planejamento a longo prazo, pensando nos principais problemas que precisam ser resolvidos”, afirmou o diretor de Inovação Tecnológica.

Para Franz Dal Belo, ações desenvolvidas pelo Masterplan Maringá e no Conselho Municipal de Inovação, que buscam desenvolver planejamento estratégico a longo prazo para encarar os desafios futuros, são exemplos de atitudes que contribuem para o conceito de cidade inteligente.

Ele também afirmou que o município busca soluções tecnológicas para serem utilizadas em serviços voltados para os cidadãos por meio dos editais de fomento à inovação. “Fazemos um levantamento das demandas de diversas secretarias e dentro desse edital a gente também abre para a comunidade apresentar uma solução. Essa solução é testada, sem custo para o município, que decide depois se adquire ou não”.

De acordo com Franz Dal Belo, uma das ferramentas em fase de testes no município busca diminuir o índice de ausência nas consultas médicas. Outra solução é permitir que as pessoas atendidas na Agência do Trabalhador de Maringá possam retirar uma senha por meio do smartphone e receber uma notificação quando estiverem próximas de serem atendidas, com objetivo de otimizar o tempo do cidadão.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.