Após pavão do Parque do Ingá ter penas arrancadas, rondas da Guarda Municipal vão ser intensificadas na reserva

Por: - 25 de janeiro de 2019

A Prefeitura de Maringá denunciou duas mulheres à Polícia Civil após um pavão do Parque do Ingá ter penas arrancadas. “As denúncias relatam que uma das agressoras pisava na cauda do animal para a outra retirar as penas. É revoltante essa situação”, afirmou o gerente de parque da Secretaria de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal (Sema), Adeilson Silva.

O caso do ataque ao pavão vai ser investigado. Em paralelo, a prefeitura informou que as rondas da Guarda Municipal de Maringá serão intensificadas, bem como as ações de educação ambiental dentro da reserva.

A orientação aos visitantes é não tocar nas aves nem mesmo recolher as penas caídas naturalmente, o que geralmente acontece no inverno. A alimentação também é proibida. Quando não fornecida pela Sema, a dieta alimentar das espécies do Parque do Ingá como sementes, goma de árvores e insetos é encontrada na própria reserva.

“As pessoas acreditam que estão ajudando os animais fornecendo biscoitos, bolachas, salgadinhos e outros produtos industrializados. Esse comportamento altera o hábito dos animais, com os macacos-prego que saem dos parques à procura de comida e acabam atropelados”, enfatizou o gerente de parques.

A Sema também alerta que os animais silvestres podem transmitir doenças aos seres humanos, dentre elas a raiva, também oferecendo riscos como mordidas e arranhões. Os próprios animais também não estão imunes a essa relação e os macacos por exemplo, podem contrair doenças dos seres humanos, algumas fatais.

O caso do pavão do Parque do Ingá revoltou os visitantes que presenciaram a os maus tratos ao animal e os funcionários municipais que trabalham na reserva.

“Visitantes não apenas locais, mas inclusive de outros estados tiram fotos, contemplam e se maravilham com a beleza do pavão. É revoltante porque essas aves também sentem dor”, afirma Silva.

Denuncias de vandalismo ou maus tratos aos animais dos parques de Maringá podem ser feitas para a Guarda Municipal no fone: 153

As duas mulheres acusadas de arrancar as penas do pavão do Parque do Ingá acabaram detidas, foram ouvidas pela Polícia Civil e liberadas. Veja mais detalhes na reportagem abaixo da RICTV.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.