Idealizado por maringaense, semáforo inteligente que otimiza tempo de espera do motorista é instalado para testes em Maringá

Por: - 28 de dezembro de 2018
Um dos semáforos está instalado no cruzamento da Avenida João Paulino com a Rua Saldanha Marinho (Imagem/ Ângelo Rigon)

Dois semáforos inteligentes, em fase de testes, foram instalados em Maringá. Os equipamentos batizados de “Agent” conseguem, por meio de um software de inteligência artificial e câmeras, analisar o trânsito em tempo real e ajustar os tempos de verde, vermelho e amarelo para otimizar a espera do motorista e melhorar o fluxo do trânsito.

A ideia faz parte do mestrado do maringaense Aleksandro Montanha, um dos sócios da empresa Seebot, instalada há cerca de três anos em Maringá. Ele conta que o projeto começou a ser desenvolvido em 2010 e no início de dezembro deste ano a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) decidiu instalar os semáforos na cidade.

Os equipamentos, em fase de testes, foram instalados no cruzamento da Avenida João Paulino Vieira Silva com a Rua Saldanha Marinho e no Aeroporto Regional de Maringá. Segundo Montanha, a última medição feita nos equipamentos mostrou 35% de melhora no fluxo de trânsito em relação a um semáforo convencional, considerando o tempo de espera dos veículos e o tamanho de fila.

“Ele respeita o tempo mínimo e máximo de verde, vermelho e amarelo de acordo com as regras do Contran [Conselho Nacional de Trânsito]. Após ele respeitar esses padrões, o resto é otimizado. Para decidir por quanto tempo vai ficar verde, por exemplo, ele vai analisar a quantidade de veículos e quanto tempo será necessário para que eles passem”.

Para o idealizador, o equipamento não faz apenas a otimização do tempo. Segundo ele, o semáforo consegue ler placas, identificar veículos, melhora a qualidade do ar, já que o motorista fica menos tempo parado no cruzamento, além da possibilidade de coletar dados meteorológicos. “Quando você olha, não está vendo um painel de LED, mas um robô”, disse.

Os semáforos inteligentes também conseguem guardar a experiência adquirida a cada vez que abre e fecha para veículos. Alekssando Montanha explicou que, se em um momento o equipamento perceber que liberar as motocicletas primeiro será mais rápido do que abrir para os outros veículos, da próxima vez o semáforo irá alterar a maneira de trabalho. Tudo isso, feito em tempo real.

Por enquanto, nenhum outro semáforo do modelo implementado em Maringá foi instalado em outra cidade. A ideia, segundo Montanha, é ganhar o mercado a partir da experiência adquirida na cidade. “A gente está trazendo para Maringá porque a cidade é referencia em inovação e nós entendemos que Maringá vai usufruir dos benefícios desse semáforo”. 

Além do equipamento, a empresa desenvolve outras soluções inteligentes para o trânsito como a lombada eletrônica, capaz de capturar informações das placas de veículos e enviar para uma base de dados que monitora o comportamento desses veículos. Por causa das soluções desenvolvidas, a Seebot ficou entre as três finalistas em uma premiação de empresas inovadoras em internet da coisas, promovida pela Intel Technology Provider, no nível Américas.

Empresário maringaense é um dos idealizadores do semáforo (Imagem/Divulgação)

Semob irá fazer análise técnica do semáforo inteligente

Segundo o secretário de Mobilidade Urbana, Gilberto Purpur, a secretaria pretende fazer uma análise técnica para avaliar a fila e o tempo de espera dos veículos no cruzamento no início de 2019. Para ele, que passa pelo semáforo cerca de três vezes por dia, “o funcionamento é bastante satisfatório”. Porém, ainda não há previsão de que o município possa instalar mais semáforos do mesmo modelo.

Na visão do secretário, o maior benefício do equipamento é o aproveitamento dos tempos de verde. “Em um semáforo convencional acontece de ficar vermelho para você, mas não tem ninguém atravessando na outra via. Com o novo equipamento, ele vai deixar mais tempo na via que tem maior fluxo”, afirmou.

De acordo com Gilberto Purpur, a empresa também pretende instalar, em fase de testes, semáforos para pedestre. Com o equipamento será possível, por exemplo, analisar a quantidade pedestres no cruzamento. Outro fator, que será analisado pela empresa, é criar um semáforo com a mesma tecnologia e que informe o tempo. Os modelos instalados em Maringá, por enquanto, não são sequenciais.

Conheça o plano de expansão do Maringá Post. Você pode dominar a mídia online da sua cidade. Saiba mais.