Prefeitura fará empréstimo de R$ 25 milhões no Banco do Brasil para revitalizar pista de caminhada do Parque do Ingá e centros esportivos

Por: - 22 de novembro de 2018
Maquete eletrônica da pista de caminha emborrachada que deve ser construída no entorno do Parque do Ingá (Imagem/Divulgação)

A Prefeitura de Maringá pretende fazer um empréstimo de R$ 25 milhões junto ao Banco do Brasil para revitalizar parte da estrutura esportiva da cidade. A informação foi dada pelo prefeito Ulisses Maia (PDT), que recebeu a imprensa na manhã desta quinta-feira (22/11) no seu Gabinete.

Dentro desse projeto de construções e reformas, a ideia é incluir a pista de caminhada do Parque do Ingá, que será emborrachada.

“Com essa linha de crédito exclusiva para o esporte, vamos reconstruir centros esportivos como o da Zona 5 e voltar com o aquecimento das piscinas. Muitas estruturas esportivas estavam precisando desse reparo e decidimos juntar tudo isso com o projeto da pista de caminhada”, disse.

Para obter o empréstimo, a prefeitura depende da aprovação dos vereadores. De acordo com o setor de arquivos da Câmara, até esta quinta-feira o projeto de lei não tinha sido protocolado. Em setembro deste ano, a prefeitura tinha anunciado o empréstimo de R$ 6,2 milhões, apenas para construção da pista.

A proposta é construir uma pista emborrachada antiderrapante em todo o percurso do Parque do Ingá, de 3,5 mil metros. Em alguns pontos serão instalados bancos, bebedouros, lixeiras e sinalização tátil para pessoas com deficiência visual. A iluminação será trocada por LED.

Para Maia, “os juros são baixos”, o que justifica as reformas da pista e dos centros esportivos por meio de um empréstimo. Porém, o prefeito informou que mesmo se a pista não puder ser feita com a linha de crédito do BB, será construída “de qualquer maneira”, com recursos próprios do município.

Centros esportivos serão reformados até 2020

Segundo o secretário de Esportes, Valmir Fassina, a previsão é que os 15 centros esportivos da cidade sejam reformados até 2020, mesmo aqueles que não tenham piscinas. “Será melhorada a iluminação, que deve ser trocada por lâmpadas de LED, com pisos bons e piscinas aquecidas”, disse.

De acordo com Fassina, no próximo ano devem ser concluídos o Centro Esportivo Rivadávia Vargas (CSU), na Vila Morangueira, e os centros esportivos do Jardim Alvorada, da Zona 5 e o da Vila Operária, que já estão com os projetos arquitetônico e complementar prontos.

Fassina informou que o projeto de lei solicitando autorização para contrair o empréstimo junto ao Banco do Brasil “deve ser enviado para a Câmara de Maringá nos próximos dias”. O recesso legislativo começa no doa 15 de dezembro, mas poderão ocorrer sessões extraordinárias.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.