Suçuarana de 52 kg é atropelada, motorista aciona socorro, onça é amarrada pelas patas e agora já está se alimentando em clínica de Maringá. Veja vídeo

Por: - 10 de outubro de 2018
Suçuarana macho, de 4 anos e 52 quilos, que está em recuperação em clínica veterinária de Maringá. "Está viva graças ao motorista e policiais", diz veterinária

Seria mais uma triste história de uma onça morta à beira da estrada, fato cada vez mais frequente com a devastação do habitat natural dos grandes felinos na região, se não fosse a consciência ambiental de Thomas Willian Dutra Alves, de 32 anos, que na noite da última quinta-feira (4/10) atropelou uma suçuarana na PR-340, perto de Jardim Olinda.

O motorista do Fiat Siena, que não sofreu ferimentos, ao ver que o animal ainda estava vivo, acionou a Polícia Rodoviária Estadual de Colorado. Ao ser visto com o alerta do carro ligado e falando ao celular à beira da estrada, dois rapazes de uma fazenda próxima que passavam pelo local pararam a VW Parati e desceram para prestar ajuda.

“Enquanto eu acionava o socorro, para evitar que a onça que estava meio grogue despertasse de vez e se embrenhasse no mato, os rapazes pegaram uma dessas cordinhas elásticas usadas por motociclistas e amarraram as patas dela, como fazem com bezerros”, contou nesta quarta-feira (10) Thomas Alves.

“Quando os policiais foram pegar a onça, ela já estava acordando e eles usaram uma corda melhor”, acrescentou Thomas, que é secretário de Saúde de Jardim Olinda. Disse que a onça atravessou a pista correndo, primeiro bateu na altura do farol e depois na lateral do Siena: “Quando vi que era uma onça, pedi socorro”.

A equipe da PRE logo chegou ao local e acionou a Polícia Ambiental de Maringá. Em seguida, a cabo Spada e dois soldados, diante da evidente urgência de atendimento, colocaram o bicho no porta-malas da viatura e seguiram para Maringá. No trevo de Munhoz de Melo, a 70 km do local do atropelamento, encontraram os policiais ambientais.

Junto com a equipe de Maringá estava a zootecnista e veterinária Thelma Cristina dos Santos Soares, que prestou os primeiros socorros ali mesmo. A onça macho, de 4 anos e 52 quilos, está em tratamento na clínica Animal Store. Nesta terça-feira (9) voltou a se alimentar e Thelma disse que “em 10 ou 15 dias estará pronta para ser solta”.

A onça sofreu traumatismo craniano médio e ferimentos na pata direita. “Se não fosse a iniciativa do motorista e da polícia, o animal estaria morto”, disse Thelma nesta quarta-feira (10). A Polícia Ambiental informou que não decidiu para onde a onça será levada, mas a tendência é que seja para uma reserva na mesma bacia, a do Paranapanema.

Veja vídeo feito pela veterinária

Artigos Relacionados

Empregos em Maringá

Últimas vagas de Empregos

GUIAS