Zona 5, Jardim Monte Rei e Jardim Itália são os bairros com maior incidência de escorpiões em Maringá. Número de acidentes com peçonhentos quase dobrou em 2018

Por: - 20 de julho de 2018
Escorpião-amarelo, o mais perigoso e temido por quem vive em áreas de risco / Prefeitura de Cascavel

O número de acidentes com escorpiões em Maringá quase dobrou na comparação do primeiro semestre de 2018 com o mesmo período do ano passado. Do começo de janeiro até o final de junho deste ano foram registrados 62 casos de acidente na cidade. No primeiro semestre de 2017 foram 35 ocorrências.

A quantidade de escorpiões recolhidos também aumento significativamente em 2018. Foram recolhidos nos seis primeiros meses do ano, 393 escorpiões, 121 peçonhentos a mais do que em todo o ano de 2017. A espécie mais comum na cidade é justamente a mais perigosa. Dos 393 escorpiões recolhidos, 364 eram amarelos e 28, pretos.

O bairro com maior incidência de escorpiões em Maringá é a Zona 5, com 36 escorpiões encontrados, seguido do Jardim Monte Rei, com 33 e Jardim Itália, com 32. Além desses bairros, foram encontrados animais na Zona 3 (23), Batel (20), Cidade Nova (16), Itália II (16), Pinheiros I (15), Tóquio (15) e Vila Morangueira (15).

Para evitar acidentes mais graves e até mortes por causa de ataques de escorpiões em Maringá, as equipes que atuam dentro do Plano Municipal de Controle de Escorpião tem  percorrido os prédios públicos como escolas e Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Dentro das residências, a responsabilidade sobre o aparecimento dos escorpiões é do morador. A orientação é manter o quintal sempre limpo. A Secretaria Municipal de Saúde também orienta a não utilizar venenos, pois há um entendimento de que a prática apenas desaloja o escorpião de local e não o extermina.

Criar galinhas-d’angola também ajuda no controle de animais peçonhentos. Essa espécie de galinha tem hábitos noturno, assim como o escorpião. Dentro de casa, é possível utilizar telas de proteção nos ralos ou tampas, evitando a passagem do bicho. Nas portas, a dica é colocar barreiras na entrada, principalmente a noite.

No entorno das residências e nos locais públicos são realizadas ‘buscas ativas’, com equipes capacitadas da secretaria de Saúde. Os mais de 200 agentes da dengue do município também são treinados para o controle do escorpião.

Ao encontrar escorpiões, a pessoa deve ligar no 160 (Ouvidoria da Saúde). Basta informar o endereço e o problema para que seja agendada uma visita de orientação dos agentes da gerência zoonoses.

Em casos de acidente, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) realizam o pré-atendimento e o encaminhamento necessário. Se houver sintomas mais fortes, a pessoa deve procurar imediatamente uma das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.