Estados do Sul do Brasil concentram maior número de protestos em rodovias federais. Bombeiros orientam sobre cargas essenciais na região de Maringá

Por: - 28 de maio de 2018

Os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná concentram o maior número de pontos de manifestações em rodovias federais. É o que mostra o balanço divulgado no começo da tarde desta segunda-feira (28/5) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Até o momento, segundo a instituição, 556 pontos com manifestações permanecem ativos em rodovias federais de todo o Brasil. Deste total, 247 foram detectados em estradas que cortam o Paraná (84), Rio Grande do Sul (95) e Santa Catarina (68).

De acordo com a PRF, na maioria destes protestos há bloqueios parciais e sem prejuízo à livre circulação de outros veículos que não participam das manifestações.

Desde segunda-feira (21/5), quando começou a greve dos caminhoneiros, a PRF informou que 727 pontos que chegaram a registrar protestos, foram liberados.

A PRF continua a trabalhar com ações para a manutenção de corredores interestaduais para a circulação de cargas de animais vivos, gêneros alimentícios, equipamentos essenciais, medicamentos, combustíveis e outras cargas sensíveis.

As ações para prestação de apoio aos manifestantes e usuários das rodovias federais continuam durante as movimentações de desmobilização no intuito de garantir a segurança de todos os usuários das rodovias federais

Corpo de Bombeiros divulga nota sobre manifestações

Por meio de nota divulgada no começo da tarde desta segunda-feira (28/5), o Corpo de Bombeiros de Maringá informou que possui uma reserva de combustível para abastecer os caminhões e viaturas operacionais.

Estes veículos são usados em atendimentos pré-hospitalares e incêndios. Caso a paralisação se prolongue, os veículos operacionais terão prioridade sobre os veículos administrativos.

Na nota, o Corpo de Bombeiros também explica como transportadores e caminhoneiros autônomos devem proceder em relação às cargas essenciais que precisam passar nos pontos de manifestação.

“Em Maringá, a Defesa Civil do Quinto Grupamento de Bombeiros criou um link de cadastramento para transportadoras e caminhoneiros autônomos. Esse cadastro consiste em colocar todas as informações do veículo e do tipo de carga a ser transportada para monitoramento bem como da autorização de passagem dos veículos pelos pontos de paralisação. Ao se cadastrar é gerado um arquivo com uma imagem a ser impressa pelo solicitante que deve ser apresentada nos pontos de bloqueio.

Desde que o cadastro virtual foi disponibilizado, até o momento, já foram realizados mais de 300 registros de cargas prioritárias, possibilitando aos interessados poder realizar a impressão de acordo com as condições estabelecidas nas reuniões com as lideranças estaduais do movimento dos caminhoneiros e o Governo do Estado, ocorridas na sexta-feira (25) e no domingo (27).

A adoção de um cadastro virtual por parte da 5ª CORPODEC, além de tomar mais prática a obtenção dos adesivos por parte dos interessados, eliminarem deslocamentos em plena escassez de combustível, desonera as estruturas municipais e regionais de proteção e defesa civil das demandas mais volumosas (cadastro, produção e distribuição dos adesivos), possibilitando o foco no gerenciamento de crise de maneira mais eficiente com economia de recursos humanos e financeiros.

Dentre os produtos que serão liberados, estão cargas vivas, ração animal, leite, material hospitalar, materiais para tratamento de água para Sanepar e materiais de alimentação do sistema penitenciário.”

 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.