Motoristas da Uber de Maringá vão paralisar as atividades na quarta-feira (4/4). Eles reivindicam melhorias na remuneração e organizam criação de aplicativo local

Por: - 29 de março de 2018

Depois de enfrentar a resistência dos taxistas, que se opunham à concorrência, e de órgãos públicos, que pretendiam impor uma regulamentação considerada prejudicial à atividade, os motoristas da Uber de Maringá agora levantam bandeiras reivindicatórias dirigidas para a própria operadora do aplicativo de transporte público individual.

A Associação dos Motoristas de Aplicativos de Maringá e Região convocou os motoristas para uma paralisação dos atendimentos na quarta-feira (4/4), das 6h às 18h. A principal reivindicação é melhorar a remuneração dos motoristas da Uber da cidade, sem onerar os usuários.

“A melhor forma de fazer isso é reduzir a taxa de 25% cobrada pela Uber sobre o total da corrida”, afirma o presidente da associação, Amilton Vieira. Segundo ele, a Uber remunera os motoristas por quilômetro rodado (R$ 1 por km). O valor cobrado do usuário é composto por uma gama de variáveis e mais 25% do total pago pelo passageiro.

“A empresa não informa quanto ganha por quilômetro rodado e não atende ninguém. O prefeito Ulisses Maia enviou dois ofícios para a Uber, a fim de regulamentar a cobrança de imposto sobre o serviço, mas a empresa não respondeu”, disse o presidente da entidade, que afirmou ter recebido a adesão de 200 motoristas.

Outra reivindicação, segundo Vieira, é um aumento na remuneração por quilômetro rodado. “Entendemos que isso vai onerar o usuário e nós dependemos de passageiros, mas não podemos pagar para trabalhar”. Segundo ele, nas capitais, a Uber paga até R$ 1,40 por quilômetro.

Questionado como o movimento faria o controle dos motoristas que aderiram ou furaram a paralisação, Vieira respondeu que isso não é possível. “Montamos vários grupos de Whatsapp, mas só a Uber sabe quantos motoristas utilizam a plataforma em Maringá”, disse.

Motoristas da Uber cogitam criar aplicativo local

Segundo ele, um grupo de motoristas da Uber está criando uma cooperativa e desenvolvendo um aplicativo de transporte urbano privado, semelhante à Uber, e a tendência é que eles passem a concorrer com a própria Uber, caso não haja uma melhora na remuneração atual.

A concentração dos motoristas da Uber no dia 4 será no estacionamento do Estádio Willie Davids, a partir das 9h, quando serão desenvolvidas algumas atividades com os motoristas. Haverá uma carreata, com saída às 11h, pelas ruas da cidade.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.