Igrejas católica, muçulmana e evangélica de Maringá aderem ao projeto Pacificar é Divino, do TJ-PR. Sala na Divino Espirito Santo será inaugurada nesta quarta-feira

Por: - 28 de março de 2018

São nos tribunais do poder judiciário e nos templos religiosos que, em boa parte, os conflitos de casais e mesmo de vizinhos acabam chegando. Mas quando batem às portas da Justiça, a separação ou a inimizade normalmente já estão consumadas.

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), percebendo isso, em 2017 seguiu o exemplo de Goias e do Distrito Federal e criou o programa “Pacificar é Divino”, que visa a incentivar todas as religiões a criar o Espaço Pacificar e oferecer cursos preparatórios para os conciliadores.

A partir desta quarta-feira (28/3), com a inauguração de uma sala do projeto na paróquia Divino Espirito Santo, Maringá passa a contar com a adesão de quatro religiões. Na Igreja Católica, a iniciativa incentivada pelo TJ-PR recebeu o nome de “Projeto Somos Todos Irmãos”.

Também aderiram ao projeto em Maringá a Sociedade Beneficente Muçulmana, Igreja Ministério Anunciai e a Igreja Missionária Unida do Brasil.  Em Curitiba e Região Metropolitana são 11 espaços do projeto e Londrina dois.

O advogado e leigo católico Alberto Abraão, um dos idealizadores do  “Projeto Somos Todos Irmãos” na cidade, diz que “Maringá dá exemplo para o Brasil de como Justiça e as religiões podem e devem caminhar de mãos dadas e fraternas para a superação da cultura da violência”.

Na cidade, o projeto do TJ-PR é articulado pelo Grupo de Diálogo Inter-religioso (GDI), que congrega dez religiões. Na prática, a iniciativa trabalha com a possibilidade de acordo nos conflitos em fase pré-processual, o que ajuda a reduzir a demanda judicial.

Uma das ações do TJ-PR para incentivar a ampliação das unidades do projeto “Pacificar é Divino” é oferecer cursos de capacitação em métodos consensuais de solução de conflitos. Começou por Curitiba, mas futuramente deverá ser oferecido em Maringá, Londrina e Toledo.

Como funciona o projeto inter-religioso

Num primeiro momento o programa do TJ-PR foi apresentado a diferentes comunidades religiosas. A partir daí as instituições interessadas em aderir à iniciativa, indicaram religiosos para a participação em cursos de capacitação.

Finalizando a capacitação os religiosos estão aptos a abrir espaços dentro de suas igrejas, os chamados “Espaços Pacificar”. Nestes locais, salas que contam com uma mesa, computador e impressora, são realizadas as sessões de conciliação.

Caso as pessoas envolvidas no conflito cheguem a um consenso durante o atendimento, o facilitador capacitado poderá redigir um acordo que será encaminhado para a homologação de um juiz. Em Maringá, o projeto conta com o incentivo e apoio do juiz Cláudio Camargo.

Veja os horários e endereços de atendimento

  • Paróquia Divino Espírito Santo, Rua Afonso Pena, 246 – Zona 7.  Atendimento será realizado todas às terças-feiras, das 19h às 21h. Telefone 3031 9561.
  • Sociedade Beneficente Muçulmana do Brasil, Rua Saadeddine Ali Wardabi, 26 – Jardim Guaporé. De segunda a sexta-feira, mediante agendamento pelo telefone 3224 5786.
  • Igreja Ministério Anunciai, Rua Rio São Francisco, 566, Jardim Branca Vieira. De segunda a sexta-feira, mediante agendamento pelo telefone 3046 1705.
  • Igreja Missionária Unida do Brasil, Rua Mascarenhas de Moraes, 970, Jardim Alvorada, às quintas-feiras, das 14h às 18h. Telefone 3305-2646.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.