Conheça os cinco pontos com maior registro de acidentes nas rodovias estaduais da região; três estão dentro do perímetro urbano de Maringá

Por: - 5 de janeiro de 2018
O trecho com maior número de acidentes nas rodovias estaduais da região de Maringá abrange os quilômetros 101 e 102 da PR-317, próximo à rotatória de acesso à Cocamar /Edu Corrêa

As rodovias estaduais fiscalizadas pela 4ª Companhia da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) registraram 2.122 acidentes no ano de 2017. Houve um aumento de 4,6% em relação a 2016, mas a gravidade das colisões diminuiu.

No ano passado, 126 pessoas morreram, contra 146 óbitos registrados no ano de 2016. Ao mesmo tempo, o número de feridos aumentou. Foram 1.921 pessoas em 2017 e 1.699 no ano anterior.

A pedido do Maringá Post, a 4ª Cia da Polícia Rodoviária Estadual fez o levantamento dos cinco pontos das rodovias da região com maior número de acidentes.

As estatísticas mostram que três dos pontos considerados mais perigos ficam dentro do perímetro urbano de Maringá.

O levantamento inclui as estatísticas dos treze postos rodoviários da 4ª Cia, localizados em Floresta, Iguaraçu, Colorado, Peabiru, São João do Ivaí, Cianorte, Cruzeiro do Oeste, Loanda, Diamante do Norte, Pérola, Goioerê, Tamboara e Cidade Gaúcha.

Fique atento a pontos críticos das rodovias estaduais

O trecho da PR-317, entre os quilômetros 101 e 102, na saída de Maringá para Campo Mourão, registrou o maior número de acidentes entre as rodovias estaduais. Foram 55 acidentes, três mortes e 26 feridos.

Uma referência para o trecho é a rotatória de acesso a Cocamar. Só em 2017, próximo a este cruzamento, aconteceram 30 acidentes, com duas mortes e 17 pessoas feridas.

Em segundo lugar aparece o trecho entre os quilômetros 182 e 185 da PR-317, próximo à cidade de Campo Mourão. Nos últimos dois anos foram contabilizados 51 acidentes, 39 feridos e um óbito.

Outro trecho considerado perigoso na PR-317 é a rotatória do shopping Catuaí, onde a rodovia estadual se encontra com a BR-376. Nos últimos dois anos foram registrados 48 acidentes, com 22 feridos e uma morte.

A PR-323, que recebeu o alcunha de Rodovia da Morte, aparece apenas em quarto lugar na comparação de trechos isolados. O ponto mais crítico da PR-323, segundo as estatísticas da 4ª Cia, é o km 278, localizado no município de Cruzeiro do Oeste. Nos últimos dois anos, o local concentrou 26 acidentes, com dez feridos e uma morte.

Ao comparar os registros de 2016 e 2017, o número de acidentes passou de doze, em 2016, para 14, no ano passado. E o de feridos de três, no ano retrasado, para seis no ano de 2017.

O quinto trecho com maior registro de acidentes nos últimos dois anos é o km 91 da PR-317. Fica na saída de Maringá para Iguaraçu. Foram 19 acidentes, 13 deles só em 2017, com um total de 10 feridos em dois anos.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.