Maringá registrou em 2017 uma alta de 9% na gasolina e de 14% no gás de cozinha. Botijão na cidade é um dos mais caros do Paraná

Por: - 2 de janeiro de 2018

O preço médio da gasolina em Maringá aumentou 9,13% em 2017 e o do gás de cozinha 14%. Os percentuais têm como base a comparação do último levantamento de preços divulgado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em dezembro, com os dados divulgados pela ANP no mês de janeiro do ano passado.

Em dezembro, o preço médio do litro de gasolina comum foi comercializado em Maringá a R$ 4,158. O preço é 9,13% maior do que o preço médio por litro de R$ 3,810, registrado pela Agência no mês de janeiro de 2017.

A alta no preço do gás de cozinha foi maior. O preço médio do botijão de 13 kg passou de R$ 67,935, em janeiro, para R$ 77,560, no final de dezembro, o que representa um aumento de 14,17%. Os preços, atualmente, variam entre R$ 75 e R$ 80. Há doze meses, o preço mais alto encontrado foi de R$ 70.

Aumento em Maringá é maior do que a média nacional

Na primeira semana de 2017, o preço médio do litro da gasolina no Brasil era de R$ 3,762. No fechamento do ano, ficou em R$ 4,089. O aumento foi de 8,69%, abaixo dos 9,13% registrados em Maringá.

No último levantamento da ANP feito na cidade, apenas postos de bandeira branca revendiam a gasolina comum com valor abaixo de R$ 4 o litro. Dentre os mais caros, o preço chegou a R$ 4,29.

A alta no preço tem sido constantemente justificada pela mudança na política da Petrobras para o reajuste nas refinarias, com alterações quase diárias decididas pelo Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP) da estatal.

Veja a variação de preços no ano de 2017 em Maringá

Gasolina

  • Preço médio em janeiro/2017: R$ 3,810
  • Preço mais barato em janeiro/2017: R$ 3,640
  • Preço mais caro em janeiro/2017: R$ 3,990
  • Preço médio em dezembro/2017: R$ 4,158
  • Preço mais barato em dezembro/2017: R$ 3,890
  • Preço mais caro em dezembro/2017: R$ 4,290

Diesel

  • Preço médio em janeiro/2017: R$ 2,931
  • Preço mais barato em janeiro/2017: R$ 2,710
  • Preço mais caro em janeiro/2017: R$ 3,190
  • Preço médio em dezembro/2017: R$ 3,091
  • Preço mais barato em dezembro/2017: R$ 2,940
  • Mais cara em dezembro/2017: R$ 3,290

Etanol

  • Preço médio em janeiro/2017: R$ 2,919
  • Preço mais barato em janeiro/2017: R$ 2,640
  • Preço mais caro em janeiro/2017: R$ 3,190
  • Preço médio em dezembro/2017: R$ 2,985
  • Preço mais barato em dezembro/2017: R$ 2,86
  • Preço mais caro em dezembro/2017: R$ 3,090

Gás de cozinha entre os mais caros do Paraná

No começo de 2017, o preço do botijão de gás de cozinha comum, de 13 kg, era vendido entre R$ 65 e R$ 70 em Maringá. Um ano depois, os preços variam entre R$ 75 e R$ 80, o que deixa o preço médio de R$ 77,56, atrás apenas de Toledo, de acordo com o último levantamento da ANP. O aumento ao longo do ano foi de 14,17%.

Em cidades que não foram incluídas no último levantamento, como Cascavel e Assis Chateaubriand, o preço do botijão chegou a R$ 85, em meados de dezembro. Em cidades como Londrina, Paranavaí e Apucarana o botijão sai a partir de R$ 60 nas revendas mais baratas.

Presidente do Sindicato das empresas de Atacado e Varejo de Gás Liquefeito de Petróleo (Sinegás), Sandra Ruiz, afirma que a diferença é justificada pela atuação do sindicato na conscientização dos revendedores para regularizar as vendas.

“Aqui em Maringá as diferenças de preços são pequenas entre os revendedores e são todos regularizados e fiscalizados, o que aumenta os custos. Em outras cidades, em que a venda clandestina ou em condições impróprias acontece mais facilmente, alguns conseguem revender o botijão bem mais barato e o preço médio despenca”, explica Sandra.

Em Londrina, uma força tarefa tem sido organizada com diversas entidades para eliminar o comércio ilegal de botijão de gás. Mesmo que o produto possa ser o mesmo, há o alerta que condições inadequadas de transporte e armazenamento podem causar acidentes.

Aplicativo oferece descontos no combustível

Uma empresa de Londrina desenvolveu o aplicativo Egasosa, que pode dar descontos de até R$ 0,25 por litro de combustível. Atualmente, está em fase de testes nas cidades de Londrina, Cambé e Maringá.

O aplicativo, que funciona para Android e IOS, funciona indicando os preços dos postos cadastrados e permite que o usuário faça uma reserva de até 100 litros e tem um prazo, determinado pelo revendedor, para retirada. O pagamento deve ser feito à vista, em dinheiro ou cartão de débito.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.