Prefeitura de Maringá irá comprar 1,5 milhão de sacos biodegradáveis para incentivar separação do lixo reciclável

Por: - 26 de dezembro de 2017
Modelo da sacola que a Prefeitura de Maringá irá comprar e distribuir para incentivar a coleta seletiva / Reprodução Prefeitura de Maringá

A Prefeitura de Maringá publicou edital de licitação para realizar a compra, no dia 11 de janeiro de 2018, de 1,5 milhão de sacos biodegradáveis verdes. O objetivo é distribuir os produtos para a população e incentivar a separação do lixo reciclável.

Segundo o edital, a administração municipal vai investir até R$ 491,5 mil na aquisição dos sacos. O gasto máximo previsto é de R$ 0,32 por cada unidade. Como a concorrência pública é por registro de preços, a aquisição poderá ser fracionada ao longo do ano de 2018.

De acordo com as especificações do produto, os sacos plásticos precisarão ter uma capacidade mínima de 100 litros e terão de ser biodegradáveis. Serão 90 cm de altura e 75 cm de largura, além disso, os sacos precisarão ser entregues com uma arte inscrita em preto. Haverá instruções para a separação e a logomarca da Prefeitura de Maringá.

A compra acena com a possibilidade da administração municipal retomar os investimentos na coleta seletiva, que perdeu força em meados de 2017, após a prefeitura reassumir os serviços da coleta convencional.

No ano passado, quando decidiu terceirizar a coleta convencional, o ex-prefeito Carlos Roberto Pupin (PP) havia deslocado dezenas de servidores para a coleta seletiva. Mas em meados de 2017, estes funcionários voltaram a trabalhar na coleta convencional.

Isto adiou os planos de garantir a coleta de recicláveis em 100% da área urbana.

Licitação para locar caminhões foi revogada

No mês de agosto, quando reassumiu a coleta convencional, a administração municipal abriu um edital de licitação para locar caminhões e funcionários para atuar na coleta seletiva.

Seriam locados até dez caminhões furgão, com um motorista e três coletores por caminhão, por um período de doze meses. O valor total chegava a R$ 5,7 milhões.

A contratação, no entanto, foi suspensa após a Prefeitura de Maringá ser questionada pelo Observatório Social.

Desde então, o trabalho da coleta seletiva tem sido realizado com cinco caminhões furgão e um compactador.

O sistema cooperativista ligado à reciclagem na cidade é formado por 6 cooperativas e uma associação. No total, são cerca de 120 cooperados.

A reportagem não localizou no portal da Prefeitura de Maringá nenhum roteiro atualizado dos bairros atendidos pela coleta seletiva no município.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.