Prefeito diz que episódio da “pizza em casa” não está superado e que câmeras de monitoramento voltam a funcionar até fevereiro

Por: - 19 de dezembro de 2017
O prefeito Ulisses Maia e a diretora multada apresentaram recurso ao Tribunal de Contas do Paraná / Divulgação PMM

O prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PDT), afirmou em entrevista ao Maringá Post que irá resolver o problema das câmeras de monitoramento e que ainda não superou o episódio da “pizza em casa”.

A expressão é uma referência às declarações feitas pelo comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar de Maringá, coronel Ênio Soares dos Santos, em reunião sobre a segurança pública da cidade.

O episódio foi registrado no mês de agosto e teve repercussão estadual. “Foi muito triste aquele episódio. O comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar dizer que tem medo de sair de casa. Não poderia aceitar que ele dissesse isto, em hipótese alguma. Este episódio não está superado não”, afirmou o prefeito.

Desde então, segundo Maia, as declarações do coronel passaram a ser usadas como argumentos da administração municipal. “Depois disso, tenho ficado sempre em cima da polícia e do Governo do Estado para conseguir mais viaturas e efetivos. Após o episódio, mandaram cerca de 15 viaturas para Maringá. Sempre uso a fala como argumento para buscar do governo mais incentivos à segurança”, disse.

Na entrevista, o prefeito também afirmou ter ficado feliz com o fato da Polícia Civil ter revisto o ato de transferência do delegado Luiz Alves. “É um absurdo. Não podíamos aceitar. Estive ontem (segunda 18/12) na Casa Civil e o secretário chefe Valdir Rossoni afirmou que reveria o caso. Temos que buscar sempre mais estrutura e não menos.”

Prefeito acredita que irá armar GM em 2018

Ulisses Maia reafirmou a promessa de campanha de armar os agentes da Guarda Municipal de Maringá. Ele afirmou ter firmado convênio com a Escola de Formação, Aperfeiçoamento e Especialização de Praças (Esfaep) da Polícia Militar para o treinamento dos agentes e que o processo para a compra de armas também está em andamento.

“Trabalhamos para ter uma guarda treinada, capacitada e armada. O processo está acontecendo e serão armados todos os agentes que passarem nos devidos testes. Quem tiver condição, recebe a arma. Confio que em 2018 vamos armar ao menos parte da Guarda Municipal”, afirmou.

Ele lembrou que cinco viaturas foram adquiridas nos últimos meses para a corporação e mais sete viaturas serão compradas em breve, a partir de uma emenda parlamentar do deputado estadual Dr. Batista (PMN).

Outra promessa que pretende cumprir é a criação de bases da Guarda Municipal. “Vamos comprar cinco micro-ônibus que irão funcionar como bases móveis que vamos colocar em pontos estratégicos de Maringá”.

Câmeras de monitoramento serão reativada até fevereiro

Questionado sobre o fato de ao menos 30, das 70 câmeras de monitoramento instaladas em Maringá estarem quebradas desde os primeiros meses de 2017, o prefeito justificou que não havia condições de manter o processo feito pela gestão anterior.

“Quando assumimos, tinha uma licitação de manutenção das câmeras, mas o preço era totalmente fora de qualquer possibilidade, por isso decidimos não renovar.”

Agora, segundo o prefeito, um novo processo licitatório está em andamento. E, embora o edital da licitação ainda não ter sido publicado, Maia afirma que o processo está acontecendo e, em breve, a situação será resolvida.

“Acredito que até fevereiro teremos condições de retomar a manutenção e colocar mais câmeras de monitoramento em outros locais da cidade”.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.