Construtora terá de revitalizar fundo de vale e construir área de lazer para compensar obra de edifícios residenciais

Por: - 10 de outubro de 2017
Fundo de vale localizado entre a Avenida Tuiuti e as ruas Rio Jordão e Rio Samambaia / Google Street View

A construtora MRV Engenharia Participações S.A. terá de revitalizar uma área de fundo de vale, próximo à Avenida Tuiuti, e terá de construir uma área de lazer, com parquinho infantil, além de fazer outros investimentos, para compensar a construção de quatro condomínios de edifícios residenciais no limite de Maringá com Sarandi. As medidas foram aprovadas pelo Conselho de Planejamento e Gestão Territorial de Maringá.

Os edifícios serão construídos em terreno próximo ao entroncamento da Avenida Colombo com o Contorno Norte. Segundo a Secretaria de Planejamento, por se tratar de um empreendimento que irá criar um grande adensamento populacional, em região carente de infraestrutura, foram aplicadas várias medidas que incluem desde melhorias no trânsito do local até a reserva de um terreno para a construção de uma unidade básica de saúde.

“O cálculo é feito em relação ao impacto que o empreendimento causa na região”, explica a gerente de Impacto Urbanístico, Thaís Réus. Próximo aos edifícios que serão construídos, por exmeplo, a MRV Engenharia terá de adquirir e doar um terreno com no mínimo 400 m² para instalação de equipamento de saúde.

Outra medida compensatória será a urbanização de uma área de 4,2 mil m², de propriedade do município, com implantação de parque de lazer e convivência com parque infantil, bancos, pista de caminhada, iluminação, sinalização, arborização e paisagismo, conforme projeto aprovado pela Secretaria de Planejamento. “Detectamos que havia uma carência nesta região para a prática de esportes e lazer, então pedimos para que seja realizada este medida compensatória”, conta Thaís.

Em relação ao trânsito, é prevista a implantação de sinalização horizontal e vertical num raio de 800 m, com construção de faixa de pedestre, nas esquinas do empreendimento e melhoria do acesso à passarela de pedestre instalada ao final da Avenida das Indústrias. Terá, ainda, de executar um trecho de 200 metros entre a Rua Pioneiro Juliano Martinez Alvarez e a marginal do Contorno Norte. Outra exigência e a instalação de abrigos de ônibus.

A empresa também terá de fazer obras de melhorias na conexão entre a rua Almerinda Silveira Coelho (marginal ao Contorno Norte) e a rua Rubens Sebastião Marin (marginal  à Avenida Colombo). Outra obra compensatória será a construção de uma nova saída da Rua Sebastião Marin para a Avenida Colombo antes do cruzamento com a Rua Zigmunt Krosnowski.

Fundo de vale na Avenida Tuiuti será revitalizado

Ao invés de solicitar o simples plantio de árvores, que no caso do empreendimento da MRV Engenharia somaria 8.488 mudas, a Secretaria de Planejamento decidiu aproveitar a medida compensatória prevista em lei municipal para exigir a urbanização de uma área de fundo de vale ao lado da Avenida Tuiuti.

A área fica localizada entre as ruas Rio Samambaia e Rio Jordão, no Jardim Campos Elísios. As exigências aprovadas pelo município irão beneficiar os moradores da região com a execução de uma pista de caminhada, mobiliário, iluminação, sinalização, arborização e paisagismo. Os projetos terão de ser aprovados pela Secretaria de Planejamento.

Em outro empreendimento relacionado à construção de um edifício residencial e que aprovado nas últimas semanas pelo Conselho de Planejamento e Gestão Territorial, a Plaenge Empreendimento Ltda terá de realizar o plantio e manutenção de 781 mudas de árvores nativas, que poderão ser revertidas para projetos de praças e parques de Maringá.

 

 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.