Consultor identifica US$ 7 mi em obras que ainda precisam ser feitas no contorno da UEM até 2018

Por: - 9 de outubro de 2017
Obras de mobilidade urbana no entorno da Universidade Estadual de Maringá (UEM), chegam a segunda fase /

O consultor Luis Fernando Di Pierro apresentou nesta segunda-feira (9) o relatório de avaliação intermediária do Programa de Mobilidade Urbana – Procidades, financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e com aportes de contrapartida do município.

Entre as obras previstas para o período remanescente do contrato que vai até 2018, estão as obras complementares do contorno da Universidade Estadual de Maringá (UEM), com as extensões da avenida Campolina (US$ 2.690.000,00), e da rua Cristal (US$ 1.272.000,00), e das obras complementares de drenagem (US$ 2.865.000,00).

O relatório do consultor contratado para a avaliação intermediária do programa também menciona que o Tribunal de Contas do Estado identificou falhas de gerenciamento e supervisão em obras viárias concluídas do contorno do campus da UEM como o não atendimento de todos os requisitos técnicos especificados nos contratos durante o exercício 2015.

Dentre os problemas estavam a qualidade e espessura de pavimentos inferiores às especificadas, calçadas com defeitos, dispositivos de acessibilidade incompletos e mal executados.

Participaram do evento os secretários Gilberto Purpur (Mobilidade Urbana), Marcos Zucoloto (Obras Públicas), Orlando Chiqueto (Fazenda) e servidores.

Divisão de setores para gerenciamento de obras

A fim de garantir a qualidade das obras, a Secretaria de Obras Públicas (Semop) promove uma restruturação interna com a divisão de setores (projetos, orçamentos e fiscalização) antes acumulados em apenas uma unidade.

A filosofia de trabalho da Semop também é concentrar o gerenciamento e supervisão de obras públicas pelos fiscais da administração, reduzindo a terceirização dos serviços, restritos apenas a testes laboratoriais e controles tecnológicos inerentes ao gerenciamento de obras civis e que requerem equipamentos e especializações notórias.

A Semop ainda formata um manual de procedimentos de supervisão de obras prevenindo mais eficazmente a ocorrência de falhas de gerenciamento.

O Programa de Mobilidade Urbana – Procidades, conta com ações financiadas pelo BID no valor total de US$ 11,4 milhões e US$ 13,4 milhões de obras avaliadas e executadas em contrapartida.

Participam da execução do projeto as secretarias de Gestão, Planejamento, Obras Públicas, Fazenda e a Procuradoria do Município.

Entre as obras já concluídas com recursos do programa estão a duplicação da avenida Lauro Verneck, prolongamento da rua Itamar Orlando e ponte sobre o córrego Mandacaru.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.