Domingo é dia de cantar Parabéns para o Parque do Ingá, mas nem tudo são flores por lá

Por: - 6 de outubro de 2017
Parque do Ingá comemora 46 anos

Neste domingo (8) é dia de cantar “Parabéns” ao Parque do Ingá, embora nem tudo sejam flores por lá neste início de primavera. A festa de 46 anos do Parque do Ingá será animada por vários eventos, dentro e no entorno da reserva ambiental durante todo o dia.

O Maringá Post aproveitou a deixa e foi respirar os aromas do parque na manhã desta sexta-feira (6). Em um resumo ligeiro, é perceptível que a atual administração fez alguns reparos no interior do parque, mas o vandalismo continua promovendo estragos no local.

A intervenção mais visível é a reforma da passarela, com entrada pela Vila Operária. As placas de sinalização também foram trocadas e a sinalização interna melhorou. Infelizmente, algumas delas já foram pichadas – o efetivo de segurança conta com apenas três homens, dois ficam no portão principal e apenas um faz rondas internas. A Guarda Municipal pode ser acionada a qualquer momento.

Placas trocadas este ano já apresentam sinais de vandalismo:apenas um segurança faz as rondas internas

Os brinquedos dos parquinhos passaram por manutenção e exibem pinturas novas, assim como as guias das trilhas de paralelepípedos – os piores trechos estão passando por manutenção -, mas também faltam equipamentos, como sopradores de folhas – tem só um para fazer a limpeza de todo o parque.

Observa-se também que a boa parte da herança deixada pelas administrações anteriores permanece intocada: o prédio que seria destinado a bilheteria da tirolesa, que jamais funcionou e que está se degradando, permanece abandonado.

Prédio que seria a bilheteria da tirolesa nunca funcionou e permanece abandonado. Imagem/Murillo Saldanha

Da mesma forma, está aos insetos e pavões o prédio onde se pretende implantar o Centro de Apoio aos Turistas (CAT). Talvez por um equívoco de planejamento – foi construído no meio do parque, local de difícil acesso para quem não conhece o parque e a cidade.

O prefeito Ulisses Maia (PDT) prometeu, em coletiva de imprensa no final de setembro, construir uma passarela da Avenida São Paulo até o CAT. Também afirmou que vai colocar um piso apropriado para caminhadas e corridas nas calçadas que contornam o parque. Como não disse quando, ele ainda tem mais de três para isso.

Direção do parque tem muitos planos

O gerente do parque, Adeilson Silva, disse que as placas com sinais de vandalismo são poucas e que os rabiscos não atrapalham a visibilidade do visitante: “As pessoas sabem os caminhos, já tem um direcionamento bem claro, mas a ideia é melhorar e acrescentar mais placas”.

Disse que já existem projetos de revitalização e uso para o prédio onde seria a bilheteria da tirolesa, mas não revelou o que é: “Aquele local é novo e já esta encaminhado para ser destinado a alguma função. Estamos conversando com outras secretarias e órgãos vinculados ao meio ambiente para  a utilização do prédio”.

Silva destaca que este ano foi feita uma reforma na área externa próximo a antiga bilheteria, onde são feitas apresentações e atividades de dança e ioga. Segundo ele, essas atividades “acabam inibindo um pouco as pessoas mal intencionadas, pois quando os espaços não são usados, ficam ermos”.

A antiga gruta também foi revitalizada. Na parede que estava sendo alvo de vandalismo e pichações está sendo feito um trabalho de grafiti junto com a diretoria da Juventude da secretaria da Mulher. “Dois artistas de Maringá estão fazendo um trabalho voltado para o meio ambiente e a história do parque, contando sobre as lavadeiras”, diz Adeilson Silva.

Maringaenses estão indo mais ao parque

Silva reconhece a falta de sopradores de folhas no parque, mas disse já existe no orçamento a previsão para a compra de mais dois sopradores em 2018. “No outono e primavera, quando caem mais folhas e o  trabalho é maior, a  secretaria de Serviços Públicos é chamada para auxiliar”.

Embora a reportagem tenha ouvido queixas quanto a falta de materiais de higiene e limpeza, o gerente nega deficiências nessas áreas. Mas reconhece a falta funcionários para o parque, “que é grande e recebe muitas pessoas. Queremos que o número de visitantes aumente e isso também demanda mais mão de obra. Os custos de limpeza também aumentam”, observa.

Adeilson destaca que antes o Parque do Ingá era mais visitado por pessoas de fora da cidade, mas agora a gente percebe que as pessoas de Maringá estão entrando mais aqui dentro. São pessoas que não vinham antes”.

Recordações do tempos de criança

Maria Paulina, diarista, 55, nasceu em Ivaiporã, mas foi criada aqui em Maringá. Ela lembra do parque no começo: “Eu vinha quando era simples, minha mãe vinha passear com a gente quando eu era criança. Depois fui crescendo e aprendi com ela a vir aqui”. Conta que costuma frequentar o parque nos fim de semana à tarde, quando tem uma folga do serviço”. Ela prefere ir sozinha, para olhar a natureza e os animais. .

O Parque do Ingá, para Maria Paulina, é sinônimo de lembrança da mãe e do tempo de infância: “Eu me criei aqui e já não tenho mais a minha mãe. Mas quando venho aqui [no parque] começo a lembrar dela, que sentava com a gente no parquinho e lá onde tinha os barquinhos”, recorda

Mac Lane Lanay Ferandes, 22, é de Tucuruí, interior do Pará e nesta sexta-feira estava visitando o parque. Ela também não conhecia Maringá – veio ver um amigo maringaense, que conheceu por meio das redes sociais. “Lá onde eu moro, não tem muitos lugares arborizados, nada comparado a isso dentro da cidade”.

Para ela que é turista, seria importante um lugar para informações logo na entrada do parque. “Seria bom se tivesse uma pessoa para nos guiar, mas como tenho ele [o amigo], não tenho esse problema. Seria muito interessante se tivesse um guia para estar direcionando os lugares que você pode ir”, destaca.

O lago do Parque do Ingá, onde são alugados pedalinhos, faz Maria Paulina se lembrar da mãe

Programação da festa dos 46 anos

  • 9h – Abertura da Feira do Parque e Feira das Flores
  • 9h30 – Abertura da exposição com artistas plásticos locais “Nosso Parque é show”
  • 11h – Missa na gruta com Dom Anuar Bapttisti
  • 14 – No Jardim Japonês – Apresentação de Taiko, Yosakoi Soran (Acema) e Exposição de Bonsai
  • 14h30 – Exposição de carros antigos e Clube do Fusca
  • 15h00 – Apresentação da Orquestra de sopro
  • 15h30 – Flash Mob – Parabéns Pra Você – Onde você estiver cante Parabéns para o Parque
  • 15h30 – Início do Show da Banda Biss – Show Rede Massa e Massa FM – Avenida Paissandu

E tem mais, durante todo o dia, das 9h às 17h horas, no entorno do Parque do Ingá:

  • Recreação com pintura de rosto com tema de animais
  • Palhaço
  • Clubinho da leitura
  • Exposição de Fotos do Parque do Ingá no entorno do parque
  • Varal de pintura alusiva ao parque
  • Brinquedos infláveis
  • Algodão doce e pipoca
  • Espaço Saúde ( Glicemia e pressão)
  • Cantinho dos escoteiros (Grupo de Escoteiro Verde Canção)
  • Aula de zumba
  • Contação de história
  • Músical com Ricardo Matiello
  • Caminhada e atividades físicas da terceira idade;
  • Conscientização educacional ambiental no Centro de Apoio ao Turista -CAT (secretaria do Meio Ambiente);
  • Grafite;
  • Skate;
  • Hip Hop;
  • Slack Line;
  • Dança;
  • Trilha;
  • Apresentação de Banda de Rock;

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.