Câmara aprova que Maria do Ingá passe a receber os visitantes do parque homônimo

Por: - 3 de outubro de 2017
Odair Fogueteiro
Projeto é do vereador Odair Fogueteiro (PHS) | Foto: Marquinhos

Imagine você, nos finais de semana e feriados, receber as boas-vindas ao Parque do Ingá pela própria folclórica Maria do Ingá, que empresta o nome à reserva e inspirou o nome do município?

É isso que propôs o vereador Odair Fogueteiro (PHS) por meio de projeto de lei, que foi aprovado por unanimidade, em segunda discussão, na sessão da Câmara desta terça-feira (3/10).

De acordo com o projeto, a personagem estará vestida com trajes típicos da época da fundação da cidade e terá a função de “anfitriã” do parque, distribuindo panfletos contando a origem do nome de Maringá.

Os folders deverão estar em língua portuguesa, inglesa e braile.

Segundo Fogueteiro, a intenção é que os visitantes entendam melhor o nome e a história da cidade e quem foi a cabocla Maria do Ingá, a icônica personagem da canção de Joubert de Carvalho.

O projeto foi aprovado com 14 votos favoráveis, com a abstenção do presidente da casa, Mário Hossokawa e agora vai para a terceira e última discussão. Depois disso, o projeto  segue para sanção ou veto do chefe do Executivo.

Retirante da seca nordestina

Segundo o folclore, uma cabocla, fugindo da seca da Paraíba, chegou a Maringá, ainda com surradas ruas em terra, casas de madeira e em início de colonização: uma menina digna de canção.

O artigo do pesquisador-doutor Selson Garutti, “A formação do perfil identitário da Cidade de Maringá”, discorre sobre a lenda dessa cabocla: a Maria do Ingá.

“Um fato interessante sobre a lenda da Maria do Ingá é que sua origem é de muito longe da cidade de Maringá”, escreveu o professor.

“Vem do nordeste brasileiro onde aqui ganhou popularidade por meio de seus integrantes que ajudaram a criar a cidade que surgia na época”,  acrescenta Garutti.

Em 1932, na época de colonização de Maringá, Joubert de Carvalho compôs a canção Maringá, que falava sobre essa linda cabocla que veio de Ingá, na Paraíba.

A música foi incessantemente cantada pelos operários da Companhia Melhoramento de Terras na cidade que, em 1947, seria chamada oficialmente de Maringá.

Letra da música seria outra

O diretor do Instituto Cultural Ingá e responsável pelo blog “Maringá Histórica”, Miguel Fernando, explica que a lenda da Maria do Ingá surgiu ainda muito cedo no período da colonização de Maringá.

“Ela é uma personagem folclórica, criada para a canção de Joubert de Carvalho, no início da década de 1930. Até onde se tem registros, ela não existiu de fato, foi somente uma personagem”, explicou.

De acordo ainda com Fernando, Joubert de Carvalho escreveu essa música com a intenção de ingressar na área da saúde da Marinha Brasileira, como médico que era.

“Ele compôs a música em homenagem a um dos personagens que dirigia a Marinha na época” – conta Fernando, e explica que duas cidades reivindicavam ser o berço do oficial da Marinha: Ingá e Pombal.

Fernando acrescenta que Joubert de Carvalho, em vídeo, revela que inicialmente pensava colocar, na letra da canção, a expressão Maria do Ingá,  mas achou Maringá mais sonoro.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.