Após furto de viatura e flagrante na Vila Olímpica vereadores cobram fiscalização e criarão comissão

Depois das polêmicas provocadas por jovens em festas realizadas no fim de semana, em Maringá, as baladas fizeram parte das discussões dos vereadores na sessão realizada nesta terça-feira (3/10).

Os debates envolveram as cenas de sexo gravadas por várias pessoas na Vila Olímpica, que viralizaram na internet, e o furto de uma viatura do Corpo de Bombeiros por um jovem de 26 anos e por adolescentes durante o atendimento a uma adolescente embriagada numa chácara na Estrada Guaiapó na madrugada de domingo (1/10).

Ainda na segunda-feira (2/10), o vereador Do Carmo (PR) encaminhou ofício ao prefeito Ulisses Maia (PDT) sobre o evento organizado pela Liga das Atléticas de Maringá, na Vila Olímpica. Do Carmo questionou como se deu a liberação do evento, de quem seria a responsabilidade sobre a segurança, dos organizadores ou da administração municipal, se houve a exigência de alvará e quais secretarias tinha ciência sobre as atividades.

“Tem uma lei aprovada na Câmara em que o evento das atléticas foi incluído no calendário oficial dos município. E soubemos que teve muito consumo de bebida e tudo o que aconteceu. E, como no fim de semana agora, tem outra festa, queremos que o município tome as devidas precauções”, afirmou o vereador.

Ele afirmou ter encaminhado um ofício e não ter proposto um requerimento oficial na Câmara Municipal, pelo fato da agilidade pretendida para obter as respostas.

Do Carmo afirmou ter sido cobrado por populares a respeito do episódio e, posteriormente, acabou criticado nas redes sociais. “Fui muito criticado por jovens que não entenderam o contexto. Não queremos tirar o evento, mas que vão fazer a prática desportiva e ajam com cautela. Quero ver com o município as condições de segurança do evento”, disse.

Vereadores querem comissão contra festas ilegais

Diante das polêmicas, principalmente o furto de uma viatura do Corpo de Bombeiros durante festa numa chácara, o vereador Mário Verri (PT) afirmou que irá propor, na sessão desta quinta-feira (4/10), a criação de uma comissão de estudos das leis municipais e regulamentações referentes às festas em chácaras.

“Sabemos que há muitas regras para bares, salões e queremos saber quais as regras para festas em chácaras. Vamos criar a comissão e conversar com organizações, sindicatos, com as secretarias municipais, para ter uma regulamentação melhor e para darmos mais segurança para quem frequenta”, disse.

Para Verri, é preciso criar mecanismos para para acabar com as festas clandestinas. “Temos de separar quem é responsável e que trabalha certo de quem não é.”

Alex Chaves (PHS) apoiou a iniciativa de Verri e deve fazer parte da comissão de estudos. “Pretendemos avaliar tudo, quais os requisitos e o que tem que ter numa chácara. Precisamos de fiscalização adequada, ver a questão de multas e rever os pontos necessários para evitarmos uma tragédia. Graças a Deus foi só um susto que aconteceu com as crianças (na chácara) no fim de semana, mas alguém poderia ter morrido”, afirmou.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.