BTS anuncia hiato como grupo, para focarem em produções solo

Imagem: Twitter

O anúncio da pausa pegou praticamente todos os ARMYs de surpresa, visto que quando o grupo mencionou na última semana que revelaria uma grande notícia, a expectativa dos fãs era de uma turnê mundial, ou alistamento do exército.

O grupo sul coreano formado por sete integrantes marca a história da indústria do K-Pop e do pop mundial, por ter conquistado diversos feitos nos quase dez anos de carreira. Desde 2020, eles tiveram seis músicas no topo da Billboard, três discos, duas indicações ao Grammy, discursaram na Organização das Nações Unidas  (ONU) e recentemente visitaram a Casa Branca e se encontram com o presidente Joe Biden.

Desde a estreia, em junho de 2013, o BTS tirou férias apenas duas vezes. Uma pausa nas atividades como um grupo, seguindo a agenda e os lançamentos planejados pela empresa, é natural diante da exaustão dos membros.

Mas por que a rotina dos Idols é tão exaustiva?

Na cultura do K-Pop existe uma super indústria por trás dos grupos e artistas.

Geralmente os Idols (denominação dos artistas de K-Pop) começam a treinar nas agências e empresas de K-Pop muito cedo, ainda na infância ou adolescência. Eles moram em dormitórios coletivos e estudam na prática e na teoria sem parar dança, canto e passam por avaliações constantes.

Kim Nam-Joon, o RM, foi o primeiro membro a formar o grupo. Ele treinou por três anos antes de debutar e se juntou a Hybe Entertainment (antiga Big Hit) aos 16 anos. O treinamento é cheio de regras e rigidez, tudo é controlado pelas empresas, até a dieta dos treinees e idols. Se tudo fluir bem com os treinees selecionados depois de treinarem, então eles debutam e são oficialmente apresentados à indústria.

O debut é apenas o começo da carreira. Em nove anos de grupo, o BTS passou por cinco turnês, quatro filmes, 156 episódios de um programa de variedades (Run BTS), quatro temporadas de um reality de turismo (o Bon Voyage) e muitas lives.

“O problema da indústria do K-Pop é que ela não dá tempo para você amadurecer. Você tem que continuar produzindo e fazendo coisas”, disse RM. Min Yoon-Gi, o Suga disse que no início da carreira, tinha muito a dizer, mas era difícil passar tudo para letras. Agora, é o inverso: os assuntos secaram. O BTS deseja um tempo para ficarem sozinhos e descobrirem quem são pessoal e profissionalmente.

No entanto, a Hybe declarou que não se trata de uma interrupção do trabalho, e sim de um momento para eles trabalharem em projetos individuais e que ainda farão atividades em grupo.

Com relação ao alistamento obrigatório, ainda não se sabe o que irá acontecer. Existe toda uma discussão para que o grupo não cumpra o tempo de alistamento, pois contribuíram para o crescimento do K-Pop e da cultura sul coreana, principalmente nos últimos três anos.

Todo coreano deve cumprir 18 meses de serviço militar até os 28 anos. Quando Kim Seok-Jin, o mais velho, chegou à idade, uma lei foi aprovada para que alguns idols conseguissem adiar até o dever os 30, marca que ele atinge dia 4 de dezembro deste ano.

Programação solo

A confirmação do primeiro trabalho solo de um membro do BTS  foi a apresentação de Jung Ho-Seok, o J-Hope, no Lollapalooza em julho. Ele será o primeiro artista do K-Pop a liderar uma apresentação no evento norte-americano. Ele e os outros membros —Jin, Jungkook, Suga, Jimin, V e RM— já estão trabalhando em álbuns próprios.

Nada é certo sobre o que cada um deles quer produzir, mas Kim Tae-Hyung, o V, está aprendendo saxofone, e já soltou trechos de trabalhos que caminham para o jazz.

Hiatos sempre são sensíveis para fãs de boybands —a banda One Direction, por exemplo, está oficialmente em hiato  desde 2015.

No entanto, o BTS sempre demonstrou companheirismo, e não parece ter um membro que deseja tentar dominar sozinho o mercado.

Embora na indústria do K-Pop existam outras bandas de sucesso, como NCT, Stray Kids e EXO, o BTS furou a bolha do gênero e entrou no mainstream. E mesmo assim, tem dificuldades em tocar nas rádios estadunidenses, só conseguiram, de fato, quando lançaram músicas completas em inglês.

Eles garantem, contudo, que não há motivo para preocupação. Na música “Run BTS”, lançada neste mês com a antologia “Proof”, um verso diz que a razão para o sucesso do BTS é que eles correm muito, sempre em frente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.