Como lidar com a raiva?

Imagem Internet

Situações do dia a dia geram emoções, pensamentos e ações.

Por exemplo, um motorista que saiu de repente na sua frente sem ligar a seta, uma mercadoria que atrasou, alguém que visualizou uma mensagem importante no WhatsApp e não te dá um retorno.

A raiva é uma das sensações que pode surgir e afetar todo mundo. E tem um componente muito agressivo, por isso ela é muito mal vista, não é aceita socialmente e não é compreendida.

No entanto, o conhecimento certo sobre como lidar com essa emoção pode transformar sua vida.

O que é a raiva?

Imagem internet

A raiva é um sentimento de intenso desconforto que resulta da percepção de alguma provocação, ofensa ou um desacordo.

O desconforto experimentado é tão grande que leva a pessoa a querer revidar e a atacar quem supostamente a enraiveceu, ou ser agressivo apenas consigo, ficar pensando no que aconteceu, porque aconteceu, o que deveria ter feito ou não.

É importante entender a diferença entre hostilidade e raiva, pois a hostilidade é uma característica de personalidade que envolve a avaliação negativa constante de situações e de pessoas.

Assim vive uma pessoa raivosa, como se as pessoas, o mundo e tudo estivesse o tempo todo querendo controlá-la, tirar sua liberdade, insultá-la, desrespeitá-la.

Por isso, ela responde ao mundo com essa emoção, pensamentos de vingança, com palavras agressivas e até comportamentos violentos.

Pessoas raivosas precisam buscar ajuda profissional, pois são graves os danos na saúde, no trabalho, na família, nos relacionamentos e na qualidade de vida.

 

Existe também a raiva estado e a raiva traço

A raiva estado é curta, momentânea, mas que pode ir de uma leve irritação até um ataque de fúria. Vai depender da percepção da situação que ativou essa emoção.

A raiva traço já é a tendência a perceber diversas situações como desagradáveis e frustrantes. Isso envolve o temperamento, ou seja, uma tendência a sentir raiva mais intensa do que outras pessoas.

3 Mitos sobre a raiva

Jogar a raiva para fora é saudável

Essa é uma ideia antiga, mas não há evidencias sobre isso. Tentar jogar a raiva para fora só aumenta a conexão entre os pensamentos de raiva e a ação daquele momento.

A forma que a pessoa tenta jogar a raiva para fora também pode aumentar a pressão arterial, ao mesmo tempo em que guardar essa emoção pode acarretar uma série de problemas de saúde, inclusive, hipertensão.

Um bom caminho seria esperar a onda da raiva passar, compreender o que aconteceu e buscar estratégias para resolver aquele incomodo.

Sentir raiva é bom, isso ajuda

Não é bom e nem ruim sentir raiva, simplesmente é uma reação emocional aos acontecimentos da vida.

Ela é necessária para a preservação da vida diante de possíveis agressores, ela põe limite no outro. Sua ausência nos deixaria passivos ante todo tipo de agressividade.

O aspecto positivo está quando a raiva sinaliza que algo está indo mal e precisa ser resolvido.

Mas quando ela aparece para controlar o ambiente, isso não ajuda.

Não é errado sentir raiva, o modo como expressamos, o que fazemos com ela, sim, merece atenção e cuidados.

A raiva é causada pelos outros

Muitas coisas podem eliciar a raiva, porém a forma que interpreto uma situação e não o outro é o que vai ativar essa emoção.

Como no exemplo acima de pessoas que atrapalham o trânsito, se interpreto que ela fez de propósito para me ofender, tentando me provocar, isso me deixaria com raiva.

Mas se entendo que talvez a pessoa seja recém-habilitada ou está desatenta porque perdeu alguém importante da família, isso ativaria outra emoção, a compaixão, talvez, ou simplesmente não sentisse nada.

O que fazer?

O segredo para lidar com a raiva é saber como ela se desdobra.

Primeiro você percebe algo como uma afronta, depois sente no corpo algumas reações e, por ultimo, aparece o comportamento agressivo.

Então logo no inicio tente dominar o que sente mudando a conversa consigo mesmo

Você pode dizer: tenho direito de sentir o que estou sentindo, mas isso não é o fim do mundo e vai passar.

Quem mantem a calma, mantém o controle. Posso assumir o controle das minhas emoções, pois algo só é uma provocação seu eu achar que é.

Se você acha que outras pessoas precisam entender melhor sobre essa emoção compartilhe e deixe seu comentário sobre outros temas que gostaria de ver aqui no blog Ativa Mente!

Referência: O treino Cognitivo de controle da Raiva, Lipp.

SHARE
Apaixonada pela vida, busca promover bem estar e qualidade de vida para as pessoas.
É psicóloga, palestrante, idealizadora das páginas Ansiedade ok; trabalha como psicoterapeuta individual com a terapia cognitiva.
Atuação como psicóloga clínica desde 2015, formada pela Fundação Educacional de Araçatuba-SP
Palestra
Ø Sua vida em equilíbrio, equilibrando suas emoções!
Clínica Trevisan
Av. Luiz Teixeira Mendes, 2205- Zona 5- Maringá
(44) 99154-2393

CRP- 08/25485
Últimas vagas de Empregos