TCU coloca sob suspeita contrato de R$ 220 milhões do Ministério da Saúde firmado na gestão Barros

Uma compra de R$ 220 milhões feitos pelo Ministério da Saúde, que contou com a participação de um funcionário cedido pela empresa ganhadora do contrato, está sob investigação do Tribunal de Contas da União.

Rodrigo Silvestre, que deixou o cargo de assessor no laboratório paranaense Tecpar (foto) em 2016 para assumir um cargo na Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos, voltou à empresa neste ano, depois de atuar na negociação. Na volta, foi promovido a diretor industrial. O maringaense Ricardo Barros era o ministro à época.
Reportagem de Lígia Formenti e Fabio Serapião, de O Estado de S. Paulo, informa que a contratação, firmada em 2017, tinha como objetivo o fornecimento do trastuzumabe ao Sistema Único de Saúde. O medicamento é usado no tratamento para câncer de mama. O TCU, porém, determinou a suspensão da parceria com o laboratório, que é vinculado ao governo do Paraná, por suspeita de irregularidades e sobrepreço.
Em decisão provisória no mês passado, o tribunal solicita que o Ministério da Saúde retenha 27,39% das despesas com a aquisição do medicamento, tanto já desembolsadas quanto programadas. O porcentual equivale à diferença entre o valor estabelecido pelo laboratório paranaense e o preço de mercado.
Segundo a análise da Corte de contas, o frasco-ampola do medicamento na parceria custou R$ 1.293,10, enquanto o Ministério da Saúde fez compras recentes da mesma droga por R$ 938,94. Atualmente, 7.813 pacientes estão em tratamento com a droga, segundo o Ministério da Saúde. Leia mais.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

Um pitaco em “TCU coloca sob suspeita contrato de R$ 220 milhões do Ministério da Saúde firmado na gestão Barros

  1. UM ENGENHEIRO QUE ASSUMIU UMA CADEIRA NA SAÚDE!
    UM GRANDE ERRO,

    DEVERIA, ESTAR RESOLVENDO OS SÉRIOS PROBLEMAS DE TRANSPORTES, RODOVIAS, ALAGAMENTOS E OUTRAS EMERGÊNCIAS DESSE PAÍS,

    ESPERAMOS QUE O PRÓXIMO GOVERNO, COLOQUE PESSOAS CERTAS NOS LUGARES CERTOS, OU SEJA, DE ACORDO COM SUA FORMAÇÃO, SENÃO, PARA QUE SE ESTUDA, SE QUALIFICA NUMA DETERMINADA ÁREA?

    NINGUÉM AGUENTA MAIS,
    NOSSO DINHEIRO SENDO JOGADO FORA A CULTOS ALTÍSSIMOS,

    PAGAMOS MUITO POR NADA, E ESTÁ TUDO AÍ PARA SER RESOLVIDO.
    NOVO GOVERNO, FAÇA DIFERENTE, E TERÁ MUITO SUCESSO, É O QUE DESEJAMOS PARA VCS, E PARA NÓS, O POVO QUE PAGA AS CONTAS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>