Licença maternidade

De Roseli Abrão:

A deputada Maria Victória, do PP, que está grávida, está colhendo assinaturas para apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição que concede licença maternidade às parlamentares.

O Regimento Interno da Assembleia já prevê licença maternidade (artigo 104 § 7º) de 120 dias, mas não a Constituição do Paraná, que só a concede às servidoras públicas, o que não é o caso de Maria Victória.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

11 pitacos em “Licença maternidade

  1. Gente este povo não presta concurso, são eleitos para representação por um período e querem viver disto, aposentadoria, maternidade e o que mais?, precisamos acabar com esta mamata.

  2. Não sejam ridículos. A licença maternidade beneficia a criança e não a política. A maioria que vocifera aqui querem utilizam a licença maternidade de 180 dias, e se abusar querem aumentar.

  3. Parabéns pela maternidade … é benção de Deus … já a licença, acho válido porque a maioria da classe trabalhadora já possui … não seria possível ser diferente em um estado que prega a igualdade entre os seus … nem seria projeto novo, mas a encampação das leis já vigentes em relação aos trabalhadores da iniciativa privada (e pública) que já possuem o benefício …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>