Sinais, fortes sinais II

Lendo esta postagem, e alguns comentários, relembrei da postagem anterior e percebo que o prefeito Ulisses já não está mais tão cordial conosco. Isto também, talvez, sem sinais, fortes sinais.

Deus é fiel, diria Cabo Daciolo, dando glórias. Se não cuidar, em 2020, um candidato da família Barros, o melhor de Ricardo, que não será da família, pode complicar. Mudar uma equipe há sempre ‘prós e contra’. Assim como Bolsonaro só perde para ele mesmo, esse nome pode… se pode. Mas o sangue de Jesus tem poder, dirão outros. Sinais, fortes sinais, estão em muitas situações. Conquistar a glória, exige poucos e perdoáveis pecados. Pecados mortais são fatais.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

4 pitacos em “Sinais, fortes sinais II

  1. Na verdade a cordialidade do Ulisses pouco importa para o cidadão Maringaense, o que importaria é que ele ao menos conseguisse administrar o que está ai, pois obra planejada e executada por essa Administração pode esquecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>