Lei aprovada em 2017 aumentou o corte irregular de árvores em Maringá

Uma lei de autoria de seis vereadores e sancionada no final do ano passado está, indiretamente, provocando o aumento no corte irregular de árvores localizadas nas calçadas, defronte as residências e principalmente defronte o comércio, em Maringá.

A lei, resultado de projeto de lei de Paulo Rogério do Carmo, Altamir Antônio dos Santos, Mário Massao Hossokawa, Odair de Oliveira Lima, Alex Sandro de Oliveira Chaves e Sidnei Oliveira Telles Filho, permite que os serviços de corte e remoção com destoca possa ser feito por empresas particulares. A prefeitura passou a ter 60 dias, após requerimento feito pelo contribuinte, para emitir laudo técnico e, se não realizar o corte neste período, uma empresa particular pode ser contratada pelo interessado.
O resultado é o aumento considerável do corte sem que a prefeitura tenha emitido o laudo sobre as condições das árvores. Está virando festa. Os chamados pica-paus, pessoas que fazem a retirada de árvores, sempre existiram em Maringá e, se já era difícil de controlar, agora nem se fala. Muitos dos pica-paus pegos em flagrante dizem que o corte é regular, quando não é e não tem autorização da prefeitura.
Na semana passada, num fato raro, a Guarda Municipal foi acionada depois de constatado o corte irregular de árvore na zona norte da cidade, ou seja, sem autorização da prefeitura. Infelizmente, é sombrio o futuro das árvores da cidade.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

8 pitacos em “Lei aprovada em 2017 aumentou o corte irregular de árvores em Maringá

  1. Mas se a prefeitura não faz o serviço de casa direito, com certeza irá aumentar em muito a retirada das árvores. Se a prefeitura tem 60 dias para emitir o laudo, que o faça no prazo e desta forma evite o corte caso a árvore esteja em condições saudáveis. Que o setor responsável seja mais rápido e efetivo no trabalho, e deixe de enrolar.

  2. Ora é fácil de resolver, agilizando o serviço que a prefeitura deve prestar, dois anos ou mais para uma poda de árvore é demais. Podendo retirar o proprietário tira mesmo.

  3. E onde está a preocupação da gestão pública para esse fato?
    Daqui uns tempos, a cidade que era conhecida pelas inúmeras árvores, não terá mais nenhuma. Grande retrocesso em tempos de preocupação com o clima e meio ambiente.
    Mas pelo menos o natal será “grandioso” kkkkk piada!

  4. pingo de chuva 52 diz:

    todo e qualquer corte que estiver ocorrendo deve ser informado no 156 ouvidoria municipal e a prefeitura tem que melhorar muito essas vistorias que demoram uma eternidade por falta de pessoal especializado(eng, florestal) o povo cansa de esperar e age de maneira propria

  5. POR QUE ESPERAR PASSAR A ELEIÇAO PARA PUBLICAR SERA QUE OS VEREADORE AQUI NOMINADOS NAO TEM FILHOS NAO TERAO NETOS DEVERIAM SEGUIR A MARINA SILVA COMO A MAIOR DEVASTADORA DE ARVORES DO BRASIL ENTRE ESTES VEREADORES TEM ALGUNS SE TROCAREM A PAORTA DE ENTRADA VOLTAM PARA CASA

  6. Quando elas começarem a caírem em suas casas devido a falta de manutenção ou a retirada, vocês vão parar de reclamar. Gosto da sombra do vento fresco e do ar puro. Fora isso é apenas mais sujeira e insegurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>