Site explica como as Patrulhas do Campo jorravam propina

De Celso Nascimento:

Como foi que o Ministério Público Estadual desvendou o esquema de propinas que levou à prisão temporária do ex-governador Beto Richa, envolvendo o programa Patrulhas do Campo?
O Contraponto teve acesso à leitura do despacho do juiz Fernando Bardelli Silva Fischer, da 13.ª Criminal da Justiça estadual. Com base nas investigações do Gaeco, o juiz resumiu os fatos e o Contraponto resumiu ainda mais:

* No início do primeiro mandato de Beto Richa, em 2011, o empresário Tony Garcia, então amigo bastante próximo do governador, sugeriu a criação de um programa que veio a ser denominado de Patrulhas do Campo, destinado a melhorar e readequar estradas rurais no estado;
* A execução do programa seria feita mediante aluguel de máquinas e equipamentos alugados de pelo governo do estado de algumas selecionadas locadoras, no valor global de R$ 72 milhões. O governo, por meio da secretaria de Infra-Estrutura e Logística e do DER repassaria o maquinário para que as prefeituras realizassem os serviços;
* Foi acertada uma licitação (concorrência 053/2011) com ganhadores antecipadamente definidos para três grandes lotes – as empresas Cotrans (de propriedade do já falecido empresário Osni Pacheco), a Ouro Verde (de Celso Frare) e a Terra Brasil (do Edson Casagrande).
* Tais empresas comprometeram-se, conforme combinado em reuniões no DER, a superfaturar os contratos de modo a possibilitar o pagamento de propinas ao grupo Beto Richa. Elas se comprometiam, também, a dividir os respectivos lotes com outras empresas (dentre as quais a J.Malucelli) para que não houvesse queixas de quem se sentisse preterido do processo.
* A proposta articulada por Tony Garcia foi aprovada por Beto Richa, que designou Ezequias Moreira, Deonilson Roldo, Luiz Abi e Pepe Richa para que operacionalizassem o esquema e controlassem o recebimento das propinas.
* O governador Beto Richa teria recebido propinas e, com a ajuda da mulher, Fernanda Richa, proprietária da Ocaporã Administradora de Bens, permutou lotes e ocultou cerca de R$ 900 mil, com a ajuda do contador da empresa, Dirceu Pupo.

O juiz Fernando Bardelli viu nisso tudo uma organização criminosa – pelos antigos códigos conhecida também como crime de formação de quadrilha. Colocado diante da colaboração de Tony Garcia, de outros depoimentos e de provas colhidas pelo Gaeco, o magistrado decretou a prisão temporária não apenas de Beto Richa, mas também de Fernanda Richa, Pepe Richa, Deonilson Roldo, Luiz Abi Antoun, Ezequias Moreira, Edson Casagrande, Joel Malucelli e de outros implicados, como Túlio Bandeira, André Bandeira, Aldair Petry, Emerson Savanhago, Robinson Savanhago e Dirceu Pupo Ferreira.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

5 pitacos em “Site explica como as Patrulhas do Campo jorravam propina

  1. Resta a pergunta :
    NAs estradas de fato eram feitos os reparos ?
    Certa vez fiquei sabendo de uma pessoa ligada à uma prefeitura da região de mga ué tais serviços jamais eram feitos , portanto havia dois roubos. Lá e cá .
    Indagado sobre porque não faria o serviço o mesmo me disse que para todo efeito “eram executado “ mas a chuva destruía de novo e ficava tudo certo”

  2. O QUE PRECISA AGORA É SABER QUAIS AS PREFEITURAS FORAM BENEFICIADAS COM ESTAS VERBAS E APERTAR OS PREFEITOS. ELES TAMBÉM TERÃO QUE SE EXPLICAR. AI TEM GATO. QUE MOSTREM OS TRECHOS DAS ESTRADAS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>