Não é não!

Repercute na UEM a fala da professora Ana Lucia Rodrigues sobre abuso e assédio na instituição. Candidata a reitora, ela promete investigação rigorosa e punição exemplar.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

8 pitacos em “Não é não!

  1. Na UEM, dois pesos e duas medidas.
    Uns pagando com extremo rigor, processo e perseguições, que ainda estão em andamento e outros mesmo com atos comprovados, nada acontece. Por que será?

  2. Caso ganhe sei la né… quero ver administrar….
    Fala ate meu cachorro arrisca quando ta com fome….
    Tocar essas obras tudo erradas… vai la…
    Tem umas que nao da coragem nem de subir…
    O amigo dela que o digue..
    Sera que ele vai administar tudo…
    Ai nois cai em cima fiscalizando…

  3. As obras da UEM, deveriam ser gerenciadas e fiscalizadas pelo Estado.
    Assim, param de desfiar atenção, e se volta a necessidade real, a educação e extermina os ASPONES, ASPONINHOS, E ASPONAOS.
    Nem essa faz tudo certo, só fazem pose.

  4. akito willy taguchi diz:

    E quanto às ofensas sofridas de membros da comunidade universitária pela estudante Heloisa Nascimento quando ainda era menor de idade por reafirmar convicções pessoais no Dia Internacional da Mulher, alguma posiçao?

  5. cada servidor tem uma dotação, e um local de trabalho, alguns trabalham em dois locais, uem/hu, mas nada é fiscalizado…….bagunça total, então,
    quanto a frequência de todos na instituição, é simples.
    só instalar, em todos os setores, departamentos, extensões , e demais instituições, um padrão de controle de frequência, ou melhorem coloquem controle pela face, iris, mas iguais a todos os servidores, independente de cargos e função e setor.

    No HU, tem controle digital, sigam o exemplo de lá, pois dá para saber a presença.

    Aí, essa discussão deixa de existir, e parte-se para outras necessidades.
    Como só alguns são controlados, tipo, um regime de opressão, dá nisso….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>