Sessenta dias

Hoje fez dois meses que Hamilton Cardoso (foto) tornou-se diretor do Gabinete do Prefeito.

O curto período já foi suficiente para ver a aprovação de sua atuação junto a servidores, vereadores e secretários. Com certeza, a administração ganhou.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

13 pitacos em “Sessenta dias

  1. Nem no casamento eu fui e não preciso de fazer traquejos, sempre por onde passei trabalhei, foram 11 anos no maior grupo do Brasil na época o Grupo Votorantim, 5 anos de Construtora Enorpa, 8 anos com saudoso dep.Estadual José Alves, 4 anos como secretário de servicos publicos e meio ambiente na cidade de Maringa( sem nenhum processo) 4 anos na prefeitura com Silvio
    4 anos como diretor da agencia do trabalhador e 11 anos com Cida e Ricardo Barros, nome limpo na politica, me aposentei e hoje faço parte da equipe do meu amigo de juventude e politica atual prefeito Ulisses Maia, e faço meu trabalho,pela minha cidade e pelo grupo politico que participo hoje, quando não quizer trabalhar maid vou para casa curtir minha aposentadoria de 38 anos de trabalho.

    • Dorvalino Macedo diz:

      Parabéns Cardoso !! as vezes é preciso buscar espaço onde se pode participar, opinar e atuar parabéns pelo seu trabalho, competência tem de sobra onde estiver.

  2. Desculpe ficar usando este espaço ja fui candidato a vereador 2 vezes a primeira em 1996 fiz 997 votos a segunda no ano 2.000 fiz 1.357 votos e não sou candidato a mais nada nem de sindico de prédio. Vou ajudar o grupo do qual participo.

  3. Sacuda o pó: é uma ordem!

    No décimo capítulo de Mateus, Jesus dá várias ordens aos discípulos que Ele está enviando: pregar, curar os enfermos, ressuscitar os mortos, etc. (Mt 10.7-14). Ao falar sobre o trabalho dos discípulos, o Mestre também dá uma ordem a respeito do que fazer se eles forem rejeitados: “E, se ninguém vos receber, nem escutar as vossas palavras, saindo daquela casa ou cidade, sacudi o pó dos vossos pés” (Mt 10.14). O gesto é simbólico, porém, muito eloquente. Pés na Bíblia representam caminhos, escolhas. O pó representa o que estava no lugar da rejeição e se apegou às sandálias. O que Jesus estava dizendo em outras palavras é: Não deixe que a rejeição que aconteceu nesse lugar fique agarrada aos seus próximos caminhos e escolhas.

    Analisar a direção de sacudir o pó das sandálias mostra que Jesus não apenas diz o que fazer, mas como devemos reagir quando não aceitarem o que Ele nos chamou para realizar. O Mestre não nos preparou só para triunfos, Ele nos ensinou a lidar com os fracassos. Algumas pessoas utópicas não conseguem ver derrotas no futuro e acreditam que quem vê dificuldades é pessimista. As definições contemporâneas do que é otimismo e pessimismo precisam se converter a Cristo. O otimismo do Cristianismo é capaz de ver necessidades, no entanto, enxerga em Deus a capacidade de resolvê-las. O otimismo de Cristo vê uma grande tarefa; contudo, não fica cego às dificuldades. Não apenas acredita nas vitórias, mas sabe se levantar dos fracassos. Não contempla apenas o sacrifício, mas sabe enxergar a glória da recompensa.

    Ele nos ensinou que saber lidar com as derrotas é fundamental para o próximo lugar que nossas sandálias pisarem. As próximas cidades que iremos não podem ter a sujeira da rejeição de onde pisamos. Muitos continuam contaminando lugares limpos com a “poeira” que não retiraram dos lugares sujos. Para ter relacionamentos realmente novos precisamos limpar a sujeira que relações antigas causaram. O futuro precisa de um passado resolvido.

    Na Bíblia, o pó fala de quem somos (Gn 3.19). Nossa identidade, ações e responsabilidade. Sacudir o pó também era dizer que a responsabilidade daquela rejeição não estava sobre os apóstolos, mas sobre quem a praticou. É verdade que algumas ações das pessoas à nossa volta são consequências de nossas escolhas. No entanto, precisamos reconhecer que existem atitudes que as pessoas tomam que são responsabilidades apenas delas. Nada temos a ver com isso. A palavra diz: “Ide e pregai o evangelho a toda criatura quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado” (Mc 16.15,16). A salvação ou condenação de uma pessoa não é mais responsabilidade do pregador, mas de quem ouviu a mensagem. Trazemos “a poeira da responsabilidade” demais em nossa caminhada e não percebemos por que estamos parando de usar as sandálias da pregação do evangelho. Viva o evangelho com toda sua força, tentando ser o melhor que pode; contudo, não carregue sobre você o peso de escolhas que só as pessoas podem tomar. Sacuda o pó: essa é a ordem de quem lhe ama muito!

    Site: http://www.ventonofogo.com / Twitter: @_drummond_

  4. A PEM pede socorro! Tá bom de trocar a direção, já que estão trocando todos que eram do Beto Richa e principalmente os incompetentes! Os presos estão fazendo a festa lá. SOCORRO!

  5. Parabens Cardoso, criticas sempre vão acontecer, não tem como agradar a todos.. o que importa é a sua consciência, determinação e coragem para junto com Ulisses e sua equipe melhorar Maringá!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>