Juiz pede documentação do processo que cancelou filiação de vereador

O juiz eleitoral Loril Leocádio Bueno Junior, da 137ª Zona Eleitoral, deu prazo de 10 dias para que seja apresentada toda a documentação interna do Partido da República que justificou o pedido de cancelamento da filiação do vereador Paulo Rogério do Carmo.

A decisão está no despacho assinado na segunda-feira, no pedido que o médico Jamal Mohamad Abou Fares primeiro suplente, fez para assumir o mandato eletivo de Do Carmo. Dr. Jamal preside o PSL, partido ao qual Do Carmo se filiou no dia 4 de abril (dentro do prazo da janela partidária), através da executiva estadual.
Em março deste ano, o plenário do TSE decidiu que nenhum vereador pode aproveitar a chamada janela partidária (destinada apenas a deputados e senadores) para deixar o partido, sob pena de perda do mandato. “O vereador poderá se desfiliar do seu partido com justa causa apenas no prazo da janela partidária que coincidir com o final do seu mandato, ou seja, nas vésperas das eleições municipais. Do mesmo modo, o detentor do cargo proporcional, como deputado federal e distrital, poderá fazer jus à janela partidária na proximidade de uma Eleição Geral”, esclareceu o ministro Admar Gonzaga.
No entanto, Do Carmo alegou que o cancelamento de sua filiação deu-se por iniciativa do PR, partido pelo qual se elegeu em 2016; como não existe essa figura na Justiça Eleitoral, na prática ele teria que ser expulso. O PR terá que disponibilizar agora ao dr. Jamal toda a documentação relativa ao processo que culminou com a desfiliação de seu único vereador.
Reportagem de Walter Téle no Maringá Post, em 9 de abril, informou que o vereador obteve “autorização” do PR para deixar o partido.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

4 pitacos em “Juiz pede documentação do processo que cancelou filiação de vereador

  1. Vixi coitado do Carmo. A regra é clara so pra deputado estadual federal e senadores. Ele tinha que honrar os votos que recebeu do que votaram nele. Tinha que vazer como bravim. E dançou. …

  2. Gente o DR JAMAL NÃO TEM QUE APRESENTA NADA DE DOCUMENTOS. A REGRA É CLARA MUDOU DE PARTIDOS JÁ É INFIDELIDADE PARTIDÁRIA. OS MINISTROS JÁ DECIDIRAM QUE NÃO PODE MUDAR SO EM 2020. EM SARANDI UNS VEREADOR IA MUDAR DE PARTIDOS MAS FORAM ORIENTADOS PELOS ADVOGADOS QUE PERDERIAM OS CARGOS. .A JUSTIÇA SEJA FEITA. ..

  3. A convite de um ‘amigo’, filiei-me ao PR um ano antes das eleições de 2016, para concorrer à vereança.
    Passaram-se as referidas eleições e até hoje ainda não fiquei sabendo o porquê de meu nome não constar da lista de candidatos…!
    Será porque não sou amigo do ‘rei’…? Oh dúvida cruel…!
    Conforme diria aquele personagem do saudoso cartunista Lukas: “EU SI DIVIRTU…”

    APARECIDO BAPTISTA (cidadão maringaense ‘ficha limpa’, desde criança, e servidor público municipal de Maringá durante aproximadamente 40 – quarenta – anos, hoje aposentado e com as ‘mãos limpas’ graças a Deus)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>