Gradual deixa a Bolsa

A corretora Gradual, de São Paulo, está encerrando as atividades de bolsa. Vem a ser a empresa, alvo de operações da Polícia Federal, que foi contratada pela Maringá Previdência, sem licitação, em 2013.

A corretora avisa que fará operações apenas para zeragem e transferências de posições, informa o jornal Valor. A empresa continua com as atividades de renda fixa e fundos de investimento, até o momento. A dona da corretora, Fernanda Lima, e o marido, Gabriel de Freitas Júnior, são investigados por suspeita de fraude em debêntures, alvo da Operação Encilhamento, da Polícia Federal. Essa operação investiga supostas fraudes envolvendo a aplicação de recursos de institutos de previdência municipais em fundos de investimentos que tinham debêntures sem lastro em carteira.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>