Delegado diz que críticas ao trabalho da Denarc são ‘equivocadas’

As críticas ao Denarc, feitas esta semana pelo secretário de Trânsito e Segurança de Sarandi, Joel Ingles da Silva, foram rebatidas por várias pessoas ligadas à área da segurança em Maringá.

A começar pelo fato de que o objetivo principal da Divisão Estadual de Narcóticos é justamente o de investigar organizações criminosas, responsáveis pelo fornecimento de drogas para outros traficantes. Prender os líderes dessas organizações é hoje uma meta que vem sendo cumprida pela Denarc, que no ano passado apreendeu quase 50 toneladas de maconha e prendeu quase duas centenas de traficantes.
O foco principal da divisão, confirma o delegado Gustavo Pinho Alves, são ações complexas. Ele lembra que numa das últimas, em Nova Esperança, em que foram apreendidas seis toneladas de drogas, o juiz daquela comarca escreveu que “bem se sabe que o Denarc não se debruça em investigações relacionadas a pequenos traficantes, ou mesmo a infratores de ocasião. Pelo contrário, o Denarc tem atuado naquelas situações de investigações mais complexas, ou seja, de maiores traficantes”.
Em outro trecho, é mais claro: “Os pequenos traficantes são ordinariamente monitorados pela própria Polícia Militar, ou pela Polícia Civil não especializada”. O delegado considera a crítica – de que a Denarc não faz ações pontuais na região – “equivocada”. Ele garante que os policiais da divisão trabalham sim em Maringá e Sarandi, mas não divulga a maior parte das prisões e apreensões pois são pequenas quantidades de drogas, e até mesmo para não atrapalhar as investigações.
Há que se reconhecer, e os números provam isso, que o trabalho da Denarc de Maringá tem tido resultados, o que pode ser comprovado também junto a outras forças de segurança pública.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

3 pitacos em “Delegado diz que críticas ao trabalho da Denarc são ‘equivocadas’

  1. Concordo com o delegado. O núcleo maringaense da Denarc bateu todos os recordes de prisões e apreensões no ano passado, superando todos os outros núcleos do estado. Fiquei surpreso com a crítica do Joel Inglês, um policial militar de excelência, que por alguns anos trabalhou junto à Denarc-Maringá, mais precisamente no serviço de inteligência, que funcionava anexo à divisional. Ele, como poucos, conhece o trabalho primoroso realizado pela Denarc em Maringá, na região e até mesmo em estados vizinhos. No mais, complemento que o Inglês está na lista dos melhores e mais honrados policiais que já conheci e a Denarc-Maringá entre as divisões especializadas que mais admiro e respeito! Votos para que tudo se acerte!

  2. A Policia brasileira deveria ser modernizada. Ser usado o sistema Norte Americano.
    Casos federais e de origem estrangeira – Policia Federal
    Casos de repercussão local e inter-municipios – Polícia Estadual
    Casos locais: Polícia Municipal

  3. A Policia brasileira deveria ser modernizada. Ser usado o sistema Norte Americano.
    Casos federais e de origem estrangeira – Policia Federal
    Casos de repercussão local e inter-municipios – Polícia Estadual
    Casos locais: Polícia Municipal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>