Dúvida jurídico trabalhista

Um assessor de vereador que trabalha à noite, de madrugada, filmando, fazendo serviço de fiscalização para o edil, não pode reclamar horas extras, adicional noturno, entrar com ação contra a Câmara, ou seja, contra o contribuinte?

Penso que seria o momento de acabar com assessoria fora dos quadros da Câmara. Aumentar-se-ima os subsídios dos vereadores e cada uma contrataria sua assessoria, como pessoa jurídica, para atuar extra expediente. Assim eliminaria a possibilidade de ação. Do jeito que é hoje, o vereador indica, mas quando acontece algo de errado, o presidente e o primeiro secretário, que assinaram a nomeação, ficam com a responsabilidade. Que se eleve o subsídio para o máximo legal e cada vereador contrate seus assessores, por fora. É uma ideia.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

5 pitacos em “Dúvida jurídico trabalhista

  1. Tem vereador que não se preocupa muito com a legalidade na assessoria, é assessor ficha suja, assessor trabalhando durante horário noturno fora do expediente e assim vai

  2. Vereador não deveria ter assessores. façam concursos na Câmara e nomeiem verdadeiros trabalhadores e não puxa sacos.com salários bem menores. não melhoram as coisas porque não querem ou não têm capacidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>