Viver sem patrão é possível?

Aproveito dois comentários de leitores, em postagem em que defendemos as vantagens de se pagar IPTU à vista em Maringá,para um reflexão sobre os ‘sem patrão’. É possível viver sem patrão? Este é o sonho de muitos empregados, que gostariam de se tornar patrão.

No meu caso, respondendo aos leitores, diria que não tenho patrão na política e não faço o que mandam fazer, no máximo atendo pedidos para postar e no caso do IPTU ninguém pediu nada, pelo contrário, acho até que ao comentar estou dando força para os contrários, mas não vou me omitir. Acho mesmo um bom desconto, paguei o meu IPTU antecipado e reitero, não tenho compromissos com político algum. Se defendo a administração é porque confio e não quero a volta dos que se julgavam donos de Maringá. Só Isso.
Profissionalmente sou patrão de dois funcionários e empregado de muitos clientes. Considero que todo empresário é empregado, ou melhor, tem como patrões, seus clientes. E políticos são empregados, ou têm como patrões, os contribuintes. Neste sentido, se alguém está insinuando que o prefeito é meu patrão, digo, que é o contrário, o que não impede que tenhamos um bom relacionamento. Respondendo à pergunta do título, diria que é impossível viver sem patrão.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>