‘É hora de responsabilidade’

Texto do professor Sidnei Munhoz, do Departamento de História da UEM:

Nunca fui lulista, nem quando fui filiado ao Partido dos Trabalhadores. Já não faço parte de qualquer quadro de direção do partido há cerca de 20 ou 25 anos e me desliguei totalmente dessa agremiação política em 2005, portanto, há aproximadamente 13 anos.

Apoiei, mesmo que de modo crítico, muitas das políticas sociais dos governos Lula e Dilma, mas sempre me mantive distante da organização partidária. Portanto, você que vê no PT, em Lula e seus seguidores todas as mazelas do Brasil, por favor, se desarme e me dê a oportunidade de expor algumas ideias que considero importantes para o futuro do nosso país.
Desde 2013, nosso país ruma em direção à intensificação dos conflitos sociais. De lá para cá, houve a construção, com o apoio dos grandes veículos de comunicação e das redes sociais, de um sólido discurso que estimula o ódio, a intolerância e a culpabilização do outro pelo simples fato de ele pensar de modo diverso. Em 21 de junho de 2013, escrevi, em pequenas notas em meu Facebook: “Pensem, reflitam e observem que os atuais movimentos caminham sobre uma fina lâmina. De um lado está o desejo de avanço social, de aprofundamento da democracia. De outro, há a perspectiva de uma direita reacionária que pretende bloquear os avanços sociais, se necessário, por meio do golpismo”.
Naquele momento, muito poucos atentaram para a exacerbação das contradições sociais represadas em nossa sociedade e não perceberam a concepção de um projeto político de ocupação das ruas pelos extremistas de direita financiados pelo grande capital nacional e internacional. Era o início do golpe que hoje todos nós conhecemos. Não vou adentrar às mazelas desse processo. No futuro, nós, historiadores, teremos que explicar a outras gerações como o país chegou ao ponto que chegou e por quais motivos, por que as coisas transcorreram dessa forma e não de outra. Neste momento, o importante é compreender o que estará em jogo no dia 13 de janeiro de 2018, em especial, na cidade de Maringá.
A sociedade democrática pressupõe o livre direito à organização e à manifestação, desde que respeitadas a ordem e as leis vigentes. Desse modo, defendo o livre direito à manifestação política de movimentos das mais diferentes perspectivas, desde que não afrontem a nossa Constituição e as leis ordinárias vigentes. Por todo o Brasil, setores organizados da sociedade procuram se organizar e mostrar o seu descontentamento, inconformados com o que consideram ser uma condução tendenciosa e partidária da assim chamada “Operação Lava-Jato”, por intermédio da qual o candidato à presidência da república Luís Inácio Lula da Silva, líder em pesquisas e todos os cenários, foi condenado em primeira instância sem qualquer prova e sem comprovação de crime. Não adentrarei aqui aos meandros da operação e nem detalharei aspectos da sua excrecência jurídica, em que investigador, acusador e juiz se confundem de tal forma que não já não há julgamento, mas condenação sumária.
Em decorrência do exposto, as forças que apoiam Lula e outros setores democráticos um pouco mais amplos e de diversas tendências marcaram atos públicos em diferentes locais do Brasil para externar a sua discordância e a sua preocupação com o processo que está a anteceder o julgamento de Lula em segunda instância no próximo dia 24, no TRF4 em Porto alegre. Nesse contexto, intelectuais e juristas manifestam as suas preocupações e informam que Lula já está condenado antecipadamente nessa instância, mesmo sem qualquer prova contra ele, e apontam elementos robustos para essa assertiva. As manifestações do dia 13 preconizam também o direito de Lula concorrer às eleições presidenciais, qualquer que seja o resultado do julgamento em segunda instância. O direito constitucional à livre manifestação, desde que pacífica e ordeira, é um dos fundamentos das democracias modernas. Eu e muitos outros estaremos lá para defender esse direito.
No entanto, em Maringá, terra onde nasceu e cresceu o juiz Sérgio Moro, organizações do espectro da direita que foram às ruas pedir o impeachment de Dilma, que espalham ódio ao PT e a Lula pelas redes sociais, e representantes locais do capital, estão a conclamar um ato para o mesmo dia, local e horário com o claro e explícito objetivo de confrontar o legítimo direito de livre manifestação do agrupamento político divergente. Caso as autoridades municipais e policiais permitam esse ato arrivista, o imponderável poderá acontecer e não é inverossímil que sangue inocente possa jorrar. Assim, neste sábado, dia 13, Maringá será uma espécie de laboratório para o país e o que acontecer aqui será reverberado Brasil afora. Nesse momento, todo o cuidado é pouco e cobra-se das autoridades competentes zelar pelo livre direito à manifestação previamente agendada e impedir o confronto planejado e anunciado. Caso ele ocorra, essa poderá ser a nova face do Brasil e as vítimas seremos todos nós, não importando a ideologia, a religião, a idade, o gênero ou qualquer outra distinção. É hora de responsabilidade.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

14 pitacos em “‘É hora de responsabilidade’

  1. Caro ´professor: porque a presidente do PT não marcou tudo isso para a cidade de Curitiba? Se estamos na Democracia porque se preocupar com as pessoas que não são favoráveis ao PT. Pelo seu comentário fica claro que é PT fanático. A Democracia é para todos. acho que você se esqueceu que quando a Dilma estava sendo tirada do governo os dois lados saiu nas Ruas de todas as cidades brasileiras e não houve nenhum sangue derramado. então vamos aproveitar desta democracia e sair os dois lados cada um apoiando o seu. é lógico que vai ter o lado mais fraco e você sabe qual. muita calma nos comentários nesta hora.

  2. Concordo em grau gênero e número, nossas autoridades tem que estar atenta e impedir que os manifestantes promovam seus atos, em lugares próximos, que cada um tem a liberdade de se expressar mas sem ódio e rancor, muito bem colocado pelo professor Sidnei , pois aquelas manifestações anteriores que geraram o golpe, infelizmente muitos dos que la foram nem sabiam o mal que estavam cometendo, pois foram bode espiatório da direita reacionária.

  3. Imagina se fosse lulista. O professor só esqueceu de dizer que quem começou com essa intolerância foi o próprio lula com o slogan “nós contra eles”, acho que o professor se esqueceu desse detalhe, mas isso é comum para quem apoia a esquerda. Provas contra o lula não faltam, basta o professor deixar de lado sua ideologia e analisar o processo, sem contar que ele é réu em vários outros processos. Garanto que se a presidente do partido, a senadora gleisi, não tivesse provocado nossa cidade com o chamamento mentiroso, de que “a cidade do juiz moro se levanta contra a condenação do lula e blá blá”, acho que teria até passado batido pela nossa população, ou vcs acham que quem vai manifestar contra o lula é só partidários (o povo do pão com mortadela é outro). Na verdade é que a esquerda começa a confusão e depois querem pagar de santinhos e coitadinhos. Será que todo mundo está mentindo e só o lula falando a verdade? Fica o questionamento

  4. Nunca vi tanto embuste em tão poucas linhas escritas…
    Onde se lê “aprofundamento da democracia”,entenda-se,vindo desse tipo de gente,cubanização/venezuelização.
    Falam de ódio quando passaram a vida inteira pregando a luta de classes entre pobres e ricos,entre negros e brancos,entre homo e heterossexuiais etc…
    Não vi nenhum comentário do “professor” sobre a roubalheira na Petrobras,sobre o assalto aos fundos de pensão dos trabalhadores da Caixa,Banco do Brasil,dos Correios;também não vi nenhum comentário acerca do dinheiro desviado do BNDES para fazer porto em Cuba,aeroporto fantasma na ÁFrica etc,tudo isso promovido nos 13 anos de “democracia” petista…
    Quanta desfaçatez dessa gente que passa a vinda inteira pregando a ideologia comunista nas salas de aula!
    Deveriam estar escondidos nos porões e não escrevendo “artigos” sobre a “direita reacionária”…
    A malandragem maior desse “artigo” é a fraude intelectual quando o autor tenta se colocar como um sujeito isento,afirmando que “nunca fui lulista”.Malandragem miúda para tentar enganar alguns ingênuos…
    Sabe por que temos uns dos piores sistemas educacionais do mundo?Porque nossos professores não querem ensinar português,matemática,física,nada sobre nada,somente a ideologia de esquerda aos pobres alunos ingênuos que se deixam enganar pelos profetas do Paulo Freire.

    • E o que será que o “professor” acha da atual situação da “democracia” de esquerda na Venezuela?
      Será que o “professor/historiador” não gostaria de morar lá?
      Sabem quanto ganha de salário por mês o “professor” Sidnei José Munhoz?
      Tive a curiosidade de ver lá no portal da transparência do governo do Paraná:em média 23 mil reais por mês,bruto!
      Que beleza hein,”professor”!
      Já que o senhor é comunista,que tal dividir o seu salário com os 13 milhões de desempregados que o PT deixou no País?
      Que tal dividir o seu salário com os 25 milhões de brasileiros que vivem com menos de 500 reais por mês?

  5. Dizer que o LULADRÃO foi condenado sem prova, é dizer que apoia a CORRUPÇÃO. Não importa que neste dia 13 tenhamos confronto, importa que estamos defendendo o nosso PAÍS contra a ROUBALHEIRA generalizada instalada pelo PT e que continua com este VICE PRESIDENTE chamado TEMER que foi eleito com os votos de quem votou no PT da PRESIDENTA DILMA.
    Temos que ir às ruas já para livrar o BRASIL de uma vez por todas destes comunistas, pelegos e sanguessugas da nação brasileira.
    VIVA A LAVA JATO!
    VIVA O JUIZ SÉRGIO MORO!

  6. Petista pode ate ter se afastado do partido…mas fica incrustado na sua mente a ideologia esquerdista insuperável…tudo conversa pra boi dormir…na verdade nao passa de um Petista de carteirinha querendo se passar por um cordeiro…
    Quem provocou a manifestação dos maringaenses foram os aloprados Gleise e Requião…e a resposta está sendo dada…
    Podiam muito bem fazer o encontro Petista quietos…mas quiseram se aparecer…
    O povo decente de Maringa fará uma manifestação pacifica…quem faz a proliferação de ódio sao os petralhas…como sempre fizeram nao aceitando o contraditório.

  7. simplesmente Brasileiro diz:

    Uma vez Petista, sempre apoiará seu líder maior, mesmo que este seja o maior dos ladrões, picareta, que tenha desviado $ para países ditadores e comunistas, tenha conseguido quebrar com a maior empresa nacional e que tenha enriquecido as custas de propina. Acha certo ver Maluf, Cabral, garotinho etc.. na cadeia, mas o chefe deles não pode. O brasileiro de verdade que tem orgulho deste País tem que ir as ruas protestar contra a corrupção e pela prisão de quem rouba dinheiro público, independentemente de partido politico, antes que o Brasil vire uma Venezuela, completamente quebrada e sem direitos.

    • Quando você diz ” a zelite” creio que isso deva incluir também o professor Sidnei,que ganha 23 mil reais de salário por mês lá na UEM,não é mesmo,meu caro anonimo?

  8. O Professor Sidnei como historiador tem razão no que diz. O que mais nos choca, é que há quinhentos anos os poderosos fazem e desfazem desta terra, roubam e vilipendiam todos os dias mas, ninguém fala ou faz absolutamente nada. E sabem porque? Porque eles são da direita, e a direita tem o “direito” de fazer isso, e os alienados deste país assinam embaixo. Não estou aqui querendo dizer que a esquerda não erra, mas a suposta esquerda, governou o país por somente 13 anos. Os avanços foram muitos, as classes populares e a classe média foram guindadas a um outro patamar. Mas a cegueira proporcionada pela alienação não deixa que muitos percebam isso. Os poderosos deixaram a esquerda governar sem grandes contestações enquanto lucravam com isso. A partir do momento em que vislumbraram o seu retorno ao governo, frustrado pelo resultado das urnas, foram para o tapetão, e o golpismo que sempre foi um artifício dos poderosos retornou. Qual foi o pretexto para isso? A corrupção que todos, independente da coloração ou plumagem sempre praticaram. Os poderosos brasileiros incrustados na direita, nunca deixaram que o status quo da sociedade retrógrada que foi propositalmente construída nestas terras, fosse mudado, não seria agora que o fariam. Mais uma vez o Brasil retrocede, a alienação e a cegueira política crassam. O bonde da história passou mais uma vez ao largo. Alguém já disse que nossas elites são burras, é fato. Aos mais atentos à história de uma maneira geral, é perceptível o retrocesso de cinquenta anos a que o país está sendo levado. Nas relações trabalhistas então, o retrocesso é de cerca de cem anos. A reprodução do capital nas mãos dos poderosos brasileiros, está mais uma vez sendo sustentada pela exploração e pela alienação da população. Um dia isso será cobrado com juros, esperamos que seja uma cobrança dentro de parâmetros democráticos, através da construção de um país mais justo. A riqueza produzida pelo país precisa ser melhor distribuída, e o capitalismo possui elementos para isso. Mas quando os poderosos da direita colocarão isso em prática? Não sabemos por quanto tempo a população ficará alienada….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>