O mercado da saúde: a loucura e os açougueiros da alma

A propósito da intenção do Ministério da Saúde, que quer transformar a internação de pacientes com transtorno mental em um grande negócio, contrariando a reforma psiquiátrica de 2001, José Ribamar Bessa Freire, na edição de ontem do Diário do Amazonas, escreveu que deste jeito não será surpresa se o ministro Ricardo Barros propuser o retorno da lobotomia.

“Nesse andar da carruagem, o ministro é capaz de importar dos Estados Unidos o lobotomóvel – unidade móvel que nos anos 1940 percorria o país, mutilando os diagnosticados como loucos, homossexuais, esquizofrênicos ou quem sofria de ansiedade, insônia, depressão e até crianças acusadas de mau comportamento. Leia aqui.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

Um pitaco em “O mercado da saúde: a loucura e os açougueiros da alma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>