Não houve exagero no investimento do Natal na cidade, diz prefeito

Profissionais da imprensa estiveram reunidos hoje no paço municipal para mais uma edição do “Bate Papo com o Prefeito”, que contou com a participação do vice-prefeito Edson Scabora, do secretário de Inovação e Desenvolvimento Econômico, Francisco Favoto, e demais integrantes da equipe da administração municipal.

O prefeito Ulisses Maia destacou o dia como especial por abrir o Natal no município e contou com o apoio dos veículos de comunicação para divulgarem o evento. “Nem todas as pessoas terão a oportunidade de viajar, visitar outros lugares ou até mesmo pagar entrada para levarem as crianças em espetáculos. O Natal promovido pelo município será de todos os maringaenses com evento gratuitos”, disse.
Maia lembrou que o Natal tem parcerias, sem custo algum ao município, com entidades como a Lírius que organiza a Paixão de Cristo e reúne um público de mais de 50 mil pessoas. “O Natal demanda investimentos. Este ano foi um pouco maior do que em outros anos, mas sem exageros. Criatividade e beleza serão o grande diferencial, trazendo retorno ao comércio, geração de empregos e arrecadação de impostos”, frisou.
Além do retorno à economia, o prefeito lembrou da importância das festividades natalinas para alegria da comunidade, ansiosa em ver as luzes de decoração acesas. Maia também comentou sobre os processos licitatórios do Natal, respeitando todo o processo legal e ouvindo o Ministério Público e Observatório Social.
O chefe do Executivo ressaltou as dificuldades enfrentadas no início do mandato como o cancelamento de várias licitações na gestão passada, entre elas a dos radares. “Foi uma irresponsabilidade histórica. Um dos grandes motivos dos acidentes é o excesso de velocidade. A ausência dos radares fez os maringaenses não respeitarem o limite das vias. Depois de mais de 1 ano sem radar, finalizamos uma licitação, com 60 % de desconto, e em breve a fiscalização eletrônica estará de volta, mas sem ‘indústria das multas’, sempre visível aos condutores e sem agentes fiscalizando atrás de árvores”, destacou.
Ainda sobre fiscalização, Maia frisou que a administração alterou o modo de fiscalização eletrônica de avanço do sinal, que agora deve notificar apenas os veículos inteiramente flagrados sobre a faixa de pedestres.
A revitalização de praças também foi um dos temas do encontro. O prefeito lembrou de espaços revitalizados que receberam intervenção da Secretaria de Serviços Públicos, como a praça 7 de Setembro (praça do Peladão), mais iluminada, e a praça Pedro Álvares Cabral (da Patinação) que logo estará totalmente revitalizada.
Ainda sobre o lazer, Maia destacou que dobrará o orçamento do Esporte, e lembrou que serão construídos parques lineares nas proximidades do fundo de vale, a construção de 30 complexos com campo de futebol, parque infantil e espaço de lazer nos bairros, e ressaltou a parceria com a iniciativa privada em troca da publicidade das empresas na recuperação de canteiros e outros espaços.
O prefeito também destacou que está em fase de finalização o projeto de implantação de pista de caminhada nivelada e emborrachada no entorno do Parque do Ingá. Sobre o espaço para ciclismo, Maia lembrou que a intenção é preparar a avenida Monlevade para a modalidade.
Sobre a utilização de prédios históricos, como o Hotel Bandeirantes, Maia lembrou que o espaço poderia ser utilizado por diversas secretarias municipais, localizadas fora do Paço Municipal, gerando economia com o pagamento de aluguéis. “Um prédio como este, com todo valor histórico, e em uma das áreas mais nobres do município não pode ficar abandonado e sendo degradado com vandalismo”, comentou.
Com relação ao antigo Cine Plaza, o prefeito reafirmou o interesse da administração comprar o imóvel, ter um cinema térreo como poucos no Brasil e ser um grande centro de cultura. Maia encerrou a reunião, lembrando de investimentos para a reconstrução do Contorno Sul, intervenções no trevo do Shopping Catuaí e projeto da implantação do VLT – Veículo Leve sobre trilhos – na avenida Brasil.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

19 pitacos em “Não houve exagero no investimento do Natal na cidade, diz prefeito

  1. 4.2 milhões pra cidade de maringá realmente não é muita coisa mas ta tudo certo com a cidade?? já foi zerada a famosa fila pra consultas e exames especializados??? todas as crianças tem vaga nas creches?? a poda e remoção das arvores estão em dia??? o asfalto da cidade ta todo sem buraco?? não ta faltando nem um remédio nas farmácias das ubs??? ja terminaram as obras nas avenidas kakogawa e morangueira?? será que se fosse do bolso dele em um empresa dele ele gastaria este dinheiro com tanta coisa a fazer????

  2. Quando acabar a gestão do Ulisses Maia, o prefeito vai ter que indenizar os blogueiros para eles poderem fazer um tratamento devido a obesidade de tanto comer nos cafés da manhã no gabinete do alcaide KKK.

  3. Blá…Blá…Blá!! Reforma dos Centros Esportivos da Zona 05 e Borga Gato, que são uns lixos nada disse, não é? Ligação do Jd S. Clemente com o Jd Atami nada…Essa administração é sem dúvida é a melhor dos últimos 20 anos, mas precisa priorizar obras do interesse comum.

  4. Joel Carmona Bevillaqua diz:

    O prefeito podia tomar coragem e projetar e ir em busca de recursos para fazer um caçadão e estacionamento no sub-solo da Catedral até a AV prudente de morais, Maringá, daria um grande salto em progresso!!!

  5. Ulisses Maia deveria ser candidato a governador em 2018, poucos prefeitos fizeram o que ele fez, deu a reposição salarial para os funcionários, vale alimentação, recapando varias via entorno do centro, zerado a fila de consultas de especialidades, prefeitura com o caixa em dia e com sobra, natal com a maior iluminação e atrações já vista em Maringá, popularidade em alta. Enfim, não vejo um candidato melhor para governar o estado do Paraná e tirá-lo do fundo do poço.

  6. ROSELSON ALVES CABRAL diz:

    Acho bastante louvável participação das pessoas emitindo a sua opinião sobre alguma coisa… Mas penso que antes, tem que ter algum conhecimento, sobre o que pretende expor a sua opinião, falar só por falar, criticar por que a maioria esta criticando, é besteira… Em quase um ano de mandato, a administração Ulisses, já fez muito mais que o Pupin, em quatro. Foi dito aí, em eleger prioridades, acredito que ele o está fazendo, está priorizando as pessoas, por exemplo: alguém já disse, resolveu questões dos servidores públicos, tais como: reajuste salarial, vale alimentação, trimestralidade (processo que já durava mais de 26 anos); eliminou, praticamente a fila das consultas especializadas da saúde; reduziu a fila dos CEMEIS; em muitas áreas da cidade, não somente no centro, reformou a malha asfáltica… Tive falando com o Fassina, Secretário de Esporte, disse que está programado para o ano que vem a reforma de alguns Centros Esportivos, não me lembro do número exato… Para finalizar, me corrijam se acharem que estou errado, o orçamento da administração pública, seja no âmbito municipal, estadual ou federal, é dividido em percentuais, já pré-estabelecido por lei, para cada serviço presta: saúde, educação, transportes, esportes, cultura, obras, turismo, e outros; se houver necessidade, por exemplo, de mais recursos para saúde, o gestor não pode retirar, por exemplo, da assistência social, mesmo que esteja com sobras no caixa; se o fizer, é “pedalada”, e pode ser cassado por isso, como aconteceu um dos nossos presidentes. Sendo assim, quando alguém diz que estes recursos poderiam e deveriam ter sido utilizados para isto, ou para aquele outro, está falando bobagem; recursos para os Centros Esportivos são da Secretaria de Esporte; para tamparem buracos em via publica, da Secretaria de Mobilização; para poda ou remoção de árvores, da Secretaria de Serviços Públicos… Os recursos para as comemorações do natal devem ter vindos do turismo, cultura, e de outras, sei lá, de serviços que tem permissão legal, para serem utilizados em investimentos como este… Os envolvidos nestes festejos natalinos estão de parabéns e consequentemente o Prefeito Ulisses, realmente está muito bonito e muito bem organizado. Vão ver.

  7. As críticas são de uma imbecilidade que não tem tamanho … críticas somente para criticar, porque não existe base para isso … Ora, é função do Prefeito incentivar o comércio, a indústria, e para tanto, deve “investir” em épocas de festas como essa, a do natal e ano novo … é assim aqui, é assim no mundo … ponto final … A cada real investido, volta em tributos entre 3 e 4 reais … povão gasta com hotéis, com comilança e bebidas, transportes, e etc … tudo isso gera impostos que, quando recolhidos, retornam aos cofres públicos e começa-se novo ciclo … quatro milhões para um orçamento de mais de bilhão, para Maringá, é merda … é nada pelo retorno que patrocina …

    A se levar a sério alguns comentaristas, teríamos somente 03 secretários nessa administração (ou qualquer outra) quer seja, a de transportes, saúde e educação … mais nada …

  8. Só quero ver se consegue terminar a GESTÃO com pelo menos 1 terço do valor que encontram , trabalhar com dinheiro do caixa é fácil quero ver se estão sabendo fazer a gestão dessa verba até o fim do mandato…

  9. A voces ( víuvas da familia Barros ) que vem aqui criticar os acertos do Ulisses Maia, dedico uma banana nanica pra voces. é muita dor de cotovelo. Nunca teve em Maringa uma decoração tão linda. É um sucesso esse Natal. So com a grana que ele economizou ao cortar 400 CCs, dá pra decorar a cidade todo ano e sobra dinheiro.

  10. Desculpe pessoas que escrevem, mas achei a iluminação muito boa, mas a decoração de mau gosto!! Tudo tem cara de Shoping, e tem cousas horrorosas na praça Napoleão ! Tbem vejo a PARCIALIDADE do observatório SOCIAL, será que vamos ficar condenados a um grupo que se diz do observatório MAS não tomam atitude porque tem muitos das pessoas do próprio envolvidos no Natal ? Também ouvi de uma entidade que não se explica para onde vai o dinheiro dos trenzinhos … está tudo muito obscuro tudo ! A situação do município não está tão mal que precise ficar com a renda do trem não é ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>