Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

6 pitacos em “‘Forte e dinâmica’

  1. como sempre não vai ter nada de diferente!!! e ninguém diz quanto o município gasta pra realizar a festa e quanto arrecada de impostos???? sera que alguém la dentro paga algum imposto???? este ano vou la e vou exigir nota fiscal eletrônica e cpf na nota duvido de algum comerciante principalmente das barracas de comida vão ter!!!

  2. Maria Iraclézia de Araújo, lembra que o agronegócio é o setor mais forte, dinâmico e competitivo da economia brasileira, respondendo por 23% do PIB nacional.

    Então, por que uma associação de classe que tem tanto dinheiro vive pendurada no
    poder no publico?

    Cobram ingressos, vendem espaços, cobram estacionamento, vendem direito de bebidas, vendem o parquinho, os shows são cobrados, vendem tudo e arrecadam muito.

    O terreno é do município, vem verba federal, estadual e municipal.

    Para quê?

  3. Vai acabar como o Pq do Japão……..se o município não injeta a feira acaba…….aliás os pecuaristas é que devem injetar, e a tal Super Administração do Parque que preste as contas VERDADEIRAS, essa feira já não atrai mais investidores nem expositores, ficou pra trás á uns 20 anos, serve de palanque eleitoral e ostentação de pretensos grandes criadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>