Tribunal de Justiça mantém condenação criminal de Paulino Mexia

O servidor público estadual Paulino Mexia, que foi chefe regional da Secretaria de Meio Ambiente do Paraná e atualmente é diretor-geral da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, teve sua condenação mantida pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná, no episódio que resultou no corte de mais de 40 árvores do bioma Mata Atlântica do intocável Bosque Dois, na administração Carlos Roberto Pupin.

Ele, de acordo com o Ministério Público (a ação foi assinada por três promotores: José Lafaieti Barbosa Tourinho, Maurício Kalache e Pedro Ivo Andrade), omitiu e retardou a entrega de documentos indispensáveis à propositura de uma ação civil pública, que evitava evitar o dano ambiental. Na condição de chefe do escritório do Instituto Ambiental do Paraná, ele deu de afogadilho a autorização e a retirada da mata, passando por cima de lei municipal de 1982 e de recomendação da Promotoria do Meio Ambiente. A autorização teve como base um decreto que não contemplava o bosque e às vésperas de um feriado.

Mexia, ex-secretário municipal na gestão Said Ferreira, é cargo de confiança do ministro da Saúde, Ricardo Barros, e chegou a ser por algum tempo secretário estadual do Meio Ambiente.
A pena privativa de liberdade foi fixada em 1 ano de reclusão, além de condenação ao pagamento de 10 Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional, sendo fixado o regime inicial aberto para início de cumprimento da pena. O juiz substituiu a pena privativa de liberdade por uma restritiva de direitos, consistente na prestação de serviços à comunidade.
Leia a íntegra do acórdão aqui.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

7 pitacos em “Tribunal de Justiça mantém condenação criminal de Paulino Mexia

  1. E parece ser persiguiçao daqueles que sempre estiveram defendendo os interesses da cidade, principalmente no que tange sobre seu crescimento, para aqueles que nao se lembram as duas pontas dessas ruas eram de mao dupla e um trecho de aproximadamente duzentos metros era de pista simples.
    Somente quem passava por este trecho pode dizer o quanto melhorou com a duplicação dsete trecho.
    Parabens ao Sr. Paulino pela atitude tomada.

  2. Tiuzim da Roçadeira diz:

    O acesso áquela região era fundo de vale, não valia nada, aí o Reicardo comprou, tempos depois mudou plano diretor, tempos depois abriu uma avenida, e milagrosamente a região valorizou 10 vezes……….assim até eu fico rico……….

  3. Bem feito, puxou tanto o saco dos Barros que levou o que merecia. Duvido que o Ricardão vai agora lá no TJ passar a mão nos desembargadores pra abrandar mais ainda a pena.
    Na minha opinião deveria era ir pra cadeia mesmo. SX, arrogante.

  4. NÃO CONCORDO COM DESMATAMENTO NENHUM. FICO INDIGNADO APENAS COM TANTOS OUTROS CRIMES SENDO COMETIDOS EM NOSSO PAÍS (BILHÕES) E NADA ACONTECE AOS CRIMINOSOS E O CORTE DE ARVORES A PESSOA É CONDENADA RAPIDINHO. QUE SE PUNA OS OUTROS TAMBÉM PARA QUE POSSAMOS ACREDITAR MAIS NA JUSTIÇA. TEM PROCESSOS MUITO MAIS VELHOS QUE ESTES CONTRA PREFEITOS, VEREADORES, DEPUTADOS SENADORES, PRESIDENTE EX-PRESIDENTES E NÃO SAI NENHUMA DECISÃO. E QUANDO SAI É SEMPRE FAVORÁVEL À ELES. PORQUE SERÁ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>