Projeto que libera a venda e o consumo de cerveja nos estádios ganha emenda pró-artesanais

Evandro Junior

A venda e o consumo de cerveja e chope nas arenas desportivas e estádios do Paraná foi aprovada em segundo e terceiro turnos nas duas sessões plenárias realizadas hoje na Assembleia Legislativa do Paraná. A proposta volta à pauta do Legislativo nesta quarta-feira, para derradeira votação, em redação final. Uma das emendas, do deputado Evandro Junior, prevê que 20% das cervejas e chopes vendidos sejam de origem artesanal e de produção paranaense.

A primeira emenda aprovada na forma de substitutivo geral, de autoria do deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), faz algumas adequações técnicas para aperfeiçoar o texto original, a principal delas determinando que as bebidas só poderão ser vendidas e entregues aos consumidores em copos plásticos descartáveis. A outra emenda aprovada, assinada pelo deputado Requião Filho (PMDB), define que a comercialização de bebidas alcóolicas somente poderá ocorrer em pontos fixos, cabendo ao responsável pela gestão do recinto esportivo definir a localização desses pontos.
O projeto prevê que a comercialização e o consumo de cerveja ou de chope nos estádios ou arenas desportivas sejam permitidos desde a abertura dos portões para acesso do público até o término do evento. Ele também deixa claro, em seu artigo 3º, que as únicas bebidas alcoólicas que poderão ser vendidas e consumidas nos recintos esportivos sejam a cerveja e o chope, sendo proibida a venda e o consumo de outras espécies de bebidas alcoólicas, destiladas ou fermentadas. Há previsão, ainda, de que 20% das cervejas e chopes vendidos sejam de origem artesanal e de produção paranaense.
Esta emenda é do deputado Evandro Junior (PSDB), que nas redes sociais comemorou. “Estou muito feliz que minha emenda foi acatada pelo relator do projeto de lei 50/2017. Agora, graças aos estudos que desenvolvi junto à Procerva (Associação de Microcervejarias do Paraná), está previsto na lei que 20% da venda de cerveja e chope sejam destinados para as cervejarias artesanais do Paraná. Isto é muito importante, pois esse setor gera mais emprego por litro de bebida produzida”, escreveu.

Angelo Rigon


6 pitacos em “Projeto que libera a venda e o consumo de cerveja nos estádios ganha emenda pró-artesanais

  1. Artes-ANAL de C* É Rôla! diz:

    Cerveja artesanal? Você quer dizer aquela porcaria hipster de branquelo de barba, que se acha somelier? Vão liberar pra vender essa água suja metida a sofisticada em local de confluência da classe trabalhadora e parda? Vão tomar na tarraqueta, logo logo! Qual torcedor de futebol vai querer pagar uma fábula naquela merda superfaturada, quando tiver a opção de preço acessível da AMBEV, que dificilmente vai ficar de fora? Os cervejeiros molham a mão desse moleque piá de prédio pra empurrar a cerveja superfaturada deles, vem a AMBEV e molha a mão geral da Assembléia Legislativa pra darem o monopólio pra quem atende melhor porque produz mais e mais barato. Vai vendo…

  2. A cerveja artesanal está em voga pois se produz e não recolhe os impostos devidos e cobram caro “pra c…………o” ……e manda esse moleque arrumar o que fazer……………….

    • Ë um trouxa, fica querendo fazer moral, depois vai pedir voto dizendo que liberou a cerveja nos estádios, sem cerveja ja existe confusão demais, imagina so o cara enchendo o r… de cachaça e depois completa com umas geladas la no jogo, vai virar uma beleza, nosso políticos não servem pra nada, e esse ai ta igual aos vereadores de Maringá. vai mudar nome de rua que é melhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>