Audiência pública

A audiência pública sobre os preços dos combustíveis em Maringá foi realizada ontem à noite na câmara municipal.

Angelo Rigon


7 pitacos em “Audiência pública

  1. ambrosio brambilla diz:

    O vereador é tão fraco que fez uma pergunta porque os postos não comprar de outras distribuidoras.
    Nem sabe ele que os postos tem contratos de fidelidade de no mínimo 5 anos e não podem comprar de outras distribuidoras.

    O ponto fundamental não quiserem discutir na reunião, que Maringá não tem postos de bandeira branca como Londrina, Paranavaí e Umuarama, e são estes que baixam os preços pela falta de recolhimento dos impostos e venda de produtos ruins, daí sim a distribuidora é obrigada nestas cidades a compor outros preços.

    Outra coisa que não discutiram foi o custo de cada posto, uns vendem mais outros menos, entre a variação de 100 a 300 mil litros por mês, que faz o posto ter mais ou menos empregados, mais ou menos aluguel sobre o fundo de comércio, mas que o alinhamento dos preços fica proporcional ao custo, então não há cartel.

  2. Gostaria de saber porquê um posto próximo da distribuidora vende o combustível mais caro do que num posto a 70 km de distância e mais um pedágio da mesma distribuidora? e não são poucos centavos!!

    • ambrosio brambilla diz:

      Nós temos postos em Araruna, Peabiru e Campo Mourão, e a Ipiranga vende mais caro para nós em Araruna, porque lá não tem posto de Bandeira Branca, E vende mais barato para Campo Mourão. (veja, a mesma empresa paga mais caro em cidades diferentes) fazer o que ? Nós temos postos de gasolina a 51 anos e é assim que funciona, ou você vende produto de qualidade e sofre com isso, ou vira marginal comprando gasolina capeta.
      Nossa empresa é séria e familiar, temos todos os 6 filhos tocando os postos. Acumulamos nestes últimos 7 anos prejuízo e dívidas de 2 milhões, e ainda vendemos um posto. Complicado.
      O presidente do sindicato se absteve as informações, mas não é por conta de medo dos consumidores não, e sim porque ele não faz nada pelos postos, não tem força política contra a falcatrua. E os donos de postos não reconhecem o sindicato como força para arrumar esta situação.

  3. Em Maringá existe cartel sim!!! Preços combinados, sim!!! Ninguém quer estourar a caixa preta!! Muita gente ganha muito com isso!!! Conheço um ex-dono de posto que disse que é uma pressão para mudar preço de um dia para outro!! Tanto que desanimou, vendeu o posto e foi embora!! Ele me disse!!!
    Um amigo meu trabalhou de infantista e estava com o tanque na reserva num dia, pensou em abastecer no dia seguinte, mas quando chegou para trabalhar viu o preço mais alto e questionou o gerente por não tê-lo avisado… A resposta foi: “Me ligaram de madrugada e disseram para aumentar”. Desculpe, não tive escolha!! Então? Como se chama isso? Tudo podre mesmo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>