Política da boa vizinhança

Um amigo postou um texto enigmático,que reproduzo tentando entender: ‘Vou retornar para as colinas, de onde fugi, para dar conta de encerrar projetos pessoais: artigos inacabados, livros não encerrados, textos não completados. Se me ligar e der caixa postal ou se demorar a responder no whats, não se preocupe amigo: tô dando um tempo pra pensar nos meus projetos em minhas horas vagas!’.

Outro amigo, explicando certa atitude, disse, em outras palavras, que estava fazendo a política da boa vizinhança, também.
Sobre o texto enigmático do meu amigo, cujo sobrenome lembra uma cidade da Espanha, suspeito que tenha tido algum dissabor por ter curtido certa postagem, que desagradaria a um vizinho. Outro dia me disseram que esse vizinho fora aplaudido por meu amigo,e aplausos podem,críticas não, ainda que indiretas, por curtidas em postagens do ‘adversário imaginário’.
Poxa, agora sou eu quem está ficando enigmático: Acho que vou fazer o caminho de Santiago de Compostela.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

3 pitacos em “Política da boa vizinhança

  1. Estou voltando para as colinas para acabar alguns projetos pessoais mesmo. Nenhuma desilusão política, caro amigo. Das colunas vim, para as colinas voltarei, desgastando as pedras brutas que nos aparecem. Afinal, escrever é uma das minha sinas e tenho muitos projetos a encerrar.

  2. Muitas vezes é necessário se ausentar e colocar as ideias, os planos, a vida em ordem. Vai fundo meu caro Akino! Gostaria de uma colina, ou uma casinha de sapê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>